Felipe Rau/Estadao
Felipe Rau/Estadao

Gargalos históricos são oportunidades para consolidação no e-commerce

Carências na logística e na tecnologia abrem o caminho para inovação e lucros no segmento

Estadão PME,

05 de setembro de 2013 | 12h19

Uma ambiguidade pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso de um empreendimento no Brasil. Se por um lado as carências histórias na área da logística e da tecnologia são obstáculos ao avanço das operações, vistas por outra perspectiva, elas representam oportunidades de faturamento para o empresário comprometido com a inovação. Isso, pelo menos, é no que acredita três especialistas no assunto convidados a debater o tema durante o Encontro Estadão PME.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Em sua sexta edição, o evento acontece nesta quinta-feira, 5, em São Paulo. Reúne empresários e especialistas em e-commerce para tratar os rumos do setor, assim como as alternativas para se destacar da concorrência, atrair clientes e investidores.

Na opinião de Enio Garbim, executivo da área de e-commerce da IBM, Gerson Rolim, diretor da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, e Sadra Vaz, vice-presidente de ecossistemas de canais da alemã SAP, o empresário brasileiro deve buscar um viés positivo dos problemas nacionais para, assim, ampliar o faturamento.

 

Segundo Enio Garbim, o empresário brasileiro que investir em alternativas criativas para driblar os gargalos tende a se sobressair no mercado. Ele cita como exemplo uma estratégia atualmente em curso nos Estados Unidos, onde diferentes lojas online formaram grupos para dividirem fretes e, com isso, reduzirem os custos do transporte do produto. Com essa oferta compartilhada, ainda de acordo com o executivo, as empresas negociam o prazo de entrega de acordo com a valor que o cliente está disposto a pagar por isso.

"A eficiência operacional é a chave para sobreviver. Caso contrário, tudo que você ganha, você perde. A tecnologia é uma parceria para viabilizar as estratégias dos negócios", afirma Garbim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.