Carro e Sofá Limpo|Divulgação
Carro e Sofá Limpo|Divulgação

Franquia cresce eliminando burocracia para os franqueados

Carro e Sofá Limpo aposta no baixo custo de investimento (R$ 20 mil) e em poucas exigências para abrir negócio

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2017 | 11h34

O modelo de microfranquias é atrativo para quem quer montar um negócio. Entre seus principais pontos positivos estão a entrada no mercado por meio de uma marca já consolidada, o baixo custo e a segurança de apostar em um modelo já replicado. Porém, taxas administrativas, cobranças de royalties e a burocracia, geralmente, são pontos sensíveis desse modelo de negócios e deixam muitos empreendedores na dúvida. 

Pensando nesse público, o grupo Carro e Sofá Limpo, especializado em higienização e impermeabilização de estofados, resolveu atuar em um modelo semelhante ao de franquias, mas sem alguns dos requisitos que costumam gerar receio por parte do franqueado. A marca aposta na desburocratização dos negócios. As franquias Carro e Sofá Limpo não têm unidades de negócio, trabalham por conta própria e sem um estabelecimento fixo. Desde 2014 em funcionamento, está presente em 10 estados e possui 24 franqueados.

Investimento. Para começar, o empreendedor vai desembolsar R$17,9 mil. Esse valor considera o uso da marca e o kit de trabalho, que inclui máquina de cartão, uniforme, materiais gráficos e digitais, assessoria técnica e de marketing, equipamentos, kit de produtos inicial e sistema de controle. Não há uma cobrança mensal e taxas de franquia, o franqueado precisa apenas ter um consumo mínimo mensal de cerca de R$ 700 em produtos. 

O retorno do investimento é previsto para seis meses. Mas a empresa alerta para as diferenças de localização. Em cidades pequenas, a média de atendimentos fica em torno de 30 a 35 por mês, com uma previsão de faturamento bruto mínimo de R$ 4,8 mil. Já para as franquias instaladas em capitais e cidades maiores, são realizados cerca de 70 a 80 atendimentos por mês, com faturamento bruto mínimo de R$ 12,6 mil. Em média, em 30 dias o franqueado já pode estar operando. Basta fechar o negócio, receber os materiais e treinamento para começar a operar

 

Tudo o que sabemos sobre:
ServiçosFranquiaMicroempresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.