Reprodução|Internet
Reprodução|Internet

Foto de idoso vendendo picolé rende mais de R$ 1 mi em doações na internet

Aos 89 anos, ele foi fotografado em Chicago por um empresário; campanha de crowdfunding para ajudar o idoso envolveu mais de 17 mil pessoas

Matheus Lara, Especial para O Estado

10 de outubro de 2016 | 17h19

Uma campanha de financiamento coletivo arrecadou R$1,2 milhão (US$384 mil) para um idoso que foi fotografado empurrando seu carrinho de sorvetes em Chicago, nos Estados Unidos. Aos 89 anos, o mexicano Fedencio Sanchez chamou a atenção do empresário Joel Cervantes, que o fotografou e postou a imagem no Facebook.

Junto com a foto, veio à tona a triste história de Sanchez: o idoso tinha acabado de perder sua única filha - dias antes de conhecer Cervantes. A esposa de Sanchez, que trabalhava com ele na venda dos picolés, ficou doente logo depois da morte da filha e não pôde mais ajudar o marido nas ruas de Chicago.

A história chamou a atenção de Joe Loera, amigo de Cervantes, que sugeriu a criação de uma campanha no site de financiamento coletivo GoFundMe com o objetivo inicial de arrecadar cerca de R$9,5 mil (U$3 mil) para garantir que Sanchez pudesse descansar após anos de trabalho. "Partiu meu coração ver aquele senhor que deveria estar aproveitando sua aposentadoria ainda trabalhando naquela idade", conta Cervantes, na página da campanha. 

 

Uma foto publicada por George Lopez (@georgelopez) em

A meta inicial foi atingida em menos de 24 horas e a campanha logo viralizou. Em um mês, 17.445 pessoas ao redor do mundo fizeram doações e conseguiram arrecadar R$1,2 milhão (US$384 mil) para o vendedor de picolés. A entrega do cheque da GoFundMe ao "homem do picolé", como ficou conhecido Sanchez, aconteceu no dia 21 de setembro. "Quando minha filha morreu, eu senti muita dor, e pensei: 'o que eu vou fazer agora?'", contou Sanchez à CNN. "Sou muito grato e estou muito feliz", disse.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Empreendedorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.