Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Fonte do governo confirma Luiza Trajano como ministra

Executiva do Magazine Luiza assumiria novo ministério voltado às pequenas empresas

Renata Veríssimo, O Estado de S.Paulo,

16 de agosto de 2011 | 11h43

A presidente do Magazine Luiza e vice-presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV), Luiza Helena Trajano, será a ministra da micro e pequena empresa, segundo uma fonte do governo. O convite foi feito pela presidente Dilma Rousseff e aceito por Luiza.

No entanto, ainda não há data para a posse da ministra, porque a criação da secretaria, com status de ministério, ainda depende de aprovação do Congresso Nacional.

Na semana passada, Dilma encaminhou ao Parlamento um pedido de urgência na votação do projeto. "Optamos pela criação de um ministério específico, pois consideramos que a ação do governo nessa direção pode ser muito mais efetiva do que é", afirmou a presidente Dilma, na última terça-feira, dia 9, durante cerimônia para apresentar alterações tributárias para as micro e pequenas empresas que integram o chamado Supersimples.

Apesar de fontes do governo informarem que a empresária já aceitou o convite feito pela presidente Dilma Rousseff, a posição oficial do Magazine Luiza é de que a empresária apenas recebeu  a proposta.

Luiza Trajano está a frente de uma das mais importantes redes de varejo do País. Atualmente, são 730 lojas espalhadas por todo o País e a receita anual estimada do grupo é de R$ 6,1 bilhões. Em abril deste ano, a empresa abriu seu capital e realizou uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) que arrecadou ao todo R$ 925,8 milhões.

Além disso, o Magazine Luiza adquiriu recentemente as Lojas do Baú, então administradas pelo empresário Sílvio Santos, por R$ 83 milhões.

A criação da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, com status de ministério, é uma promessa de campanha da presidente Dilma Rousseff. O secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira, está responsável pela modelagem da nova pasta e chegou a ser cotado para o cargo. Mas o convite foi feito à presidente do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano.

O projeto de lei (PL 865) criando a nova secretaria foi encaminhado ao Congresso Nacional no dia 31 de março deste ano, mas a presidente Dilma solicitou a tramitação em regime de urgência somente na semana passada. Isso significa que o projeto terá que ser aprovado em até 45 dias na Câmara, caso contrário, passa a trancar a pauta de votação. Depois disso, precisa passar pelo mesmo rito no Senado.

A secretaria ficará subordinada à Presidência da República. A nova pasta será responsável pela formulação de políticas e diretrizes de apoio à micro e pequena empresa e ao segmento do artesanato. Tratará também de temas como cooperativismo e associativismo urbanos, e iniciativas para o aumento da participação das micro empresas nas exportações brasileiras e sua internacionalização.

O governo decidiu criar a nova secretaria, com estrutura enxuta, para coordenar as ações para o setor que estão espalhadas pelos ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, da Fazenda, da Ciência e Tecnologia e do Trabalho e Emprego. O impacto orçamentário, segundo a exposição de motivo encaminhada ao Congresso junto com o projeto de lei, seria de R$ 6,5 milhões com a criação da secretaria a partir de abril deste ano. O valor sobe para R$ 7,9 milhões por ano, a partir de 2012.

Instituto do Desenvolvimento do Varejo (IDV), negociou a redução do Imposto sobre Produtos IndustrializadosLuiza Trajano ganhou trânsito no governo durante o auge da crise financeira internacional. Como presidente do (IPI) para os produtos da linha branca (máquinas, fogões, geladeiras etc).A redução do tributo para alguns setores foi uma estratégia do governo para aumentar o consumo e minimizar o impacto da crise na economia brasileira.

Matéria atualizada às 18h05

Colaborou: Daniel Fernandes, Estadão PME e Naiana Oscar, O Estado de S.Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.