Floricultura em Buenos Aires esconde um dos melhores bares do mundo

Clientes foram descobrindo o local por meio da melhor propaganda do mundo: a boca a boca

AMANDA NOVENTA, ESPECIAL PARA O ESTADO,

15 de dezembro de 2014 | 16h13

 Quem passa em frente à charmosa floricultura Florería Atlântico, no bairro do Retiro em Buenos Aires, nem imagina que ela esconde em seu porão um dos melhores bares do mundo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + :: 

A intenção era justamente essa quando os sócios Tato Giovannoni, um expert em drinks na Argentina, e Julián Díaz, um sommelier e dono de outro famoso bar em Buenos Aires, pensaram em abrir o bar e a floricultura ao mesmo tempo.

“Algumas senhoras da vizinhança passam pela floricultura há dois anos e ainda não sabem que embaixo dela existe um bar”, conta Tato.

Não é por menos. Afinal, a porta do bar é imperceptível dentro da floricultura e o segredo só é revelado quando uma discreta florista mostra o caminho a você. Lá embaixo, uma espécie de sótão chique, há garçons descolados, paredes rústicas com pinturas modernas e ótimas bebidas.

Esconder tudo isso numa floricultura, segundo os sócios, foi uma brincadeira que deu certo. O bar foi aberto há dois anos e, por esses dois anos, esteve na lista dos 50 melhores bares do mundo, segundo a revista Drinks International.

E mesmo sem a intenção de divulgar o bar ou a floricultura, o segredo foi passando de boca-a-boca e aos poucos sendo revelado por jornais do mundo todo. É por isso que hoje você encontra muitos estrangeiros frequentando o bar. 

Mas o sucesso da Florería Atlântico não se deve apenas à criatividade dos empreendedores, que é grande – imagine um gin tônica feito de erva mate? Os pratos também são saborosos, como o lombo de porco com batatas e o flan de doce de leite com crocante que deixam você na dúvida se é melhor chamar o lugar de bar ou restaurante (ou floricultura).

E o preço não é muito diferente de São Paulo. Prato principal acompanhado de uma taça de vinho, água e sobremesa saem em torno de R$ 88, e incluem o pensamento “quando será a minha próxima vez em Buenos Aires mesmo?”.

Os sócios podem até dizer que esconder o bar dentro da floricultura foi uma grande brincadeira. Mas quando você está indo embora, passa pela floricultura e acaba comprando uma das garrafas de vinho que ficam junto das flores, você vê que não foi bem assim...

Tudo o que sabemos sobre:
empreendedorismobuenos aires

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.