Três pessoas já encomendaram o buquê para o Dia dos Namorados
Três pessoas já encomendaram o buquê para o Dia dos Namorados

Floricultura de Curitiba lança buquê de 150 rosas que pesa 35 kg e custa R$ 2,5 mil

Esalflores espera um aumento de até 18% nas vendas para o Dia dos Namorados em comparação com 2014

Gisele Tamamar, Estadão PME,

22 de maio de 2015 | 12h36

De olho nas comemorações do Dia dos Namorados, uma floricultura de Curitiba quer chamar a atenção e atrair mais clientes com o lançamento de um buquê de rosas gigante. O buquê é feito com 150 rosas colombianas, pesa 35 quilos e é vendido por R$ 2,5 mil. O produto foi anunciado na segunda-feira, 18, no site da Esalflores e já recebeu três encomendas para o dia 12 de junho.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

Apesar de estar localizada em Curitiba, a empresa garante que pode entregar o produto em São Paulo, desde que o pedido seja feito com dez dias de antecedência. Todo Dia dos Namorados a empresa busca inovar com alguma ação ou produto. "Geralmente, quando a pessoa presenteia com uma flor, ela dá mais alguma coisa. Este ano, procuramos fazer uma coisa diferente e o buquê pode ser considerado uma joia", conta o diretor geral da empresa, Bruno José Esperança.

O buquê leva rosas especiais (com até 1,5 metro de altura) importadas da Colômbia. A montagem, feita por duas pessoas, demora quatro horas. "É um produto caro e não é o carro-chefe. Nem acreditávamos que as encomendas iam aparecer tão rápido", afirma o diretor.

Para a data, a empresa espera fazer 2 mil entregas só na cidade de Curitiba, o que deve representar um aumento de 15% a 18% nas vendas em comparação ao ano passado. Em 2014, a data caiu no mesmo dia da cerimônia de abertura da Copa do Mundo, fato que acabou deixando as vendas estáveis em relação ao ano anterior. Só de rosas colombianas, a Esalflores encomendou 21,6 mil galhos para o Dia dos Namorados.

História. A família Esperança está envolvida no mercado de flores desde a década de 1980, quando os pais de Bruno, Antonio e Elisa começaram a produção em Holambra. Em 1996, a família enxergou uma oportunidade de iniciar a comercialização das flores para o varejo em Curitiba. "Fomos tentar a vida em outra cidade acreditando em uma oportunidade. A ideia era iniciar um mercado de flores na região", diz Bruno.

A empresa começou com uma loja de 300 metros quadrados e hoje tem uma floricultura e um garden center de mais de 3 mil metros quadrados. Em julho, a Esal vai começar a entregar para todo Brasil, inclusive com o uso da tecnologia para avisar o cliente sobre a entrega. "Quem envia o presente fica na expectativa. Criamos um aplicativo para o cliente receber a notificação quando a entrega for feita", explica Bruno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.