Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Flor muda de cor quando é regada

Flor muda de cor quando é regada

Espécie criada por biólogos vem com a cor que o consumidor desejar

Estadão PME,

06 de março de 2015 | 07h25

À primeira vista, as petúnias de Nikolai Brauns parecem comuns. O que as torna especiais é o que acontece quando você começar a regar. Eles mudam de cor.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

Braun lidera a Revolution Bioengineering, uma startup do Colorado que está trazendo o poder da biologia sintética para horticultura. E as possibilidades são surpreendentes. Jardineiros poderiam alterar as cores das plantas sob demanda e cultivar espécies que assumem tons diferentes dependendo da hora do dia.

As petúnias transformadas pelo estudioso são deficientes em uma determinada enzima relacionada a sua pigmentação. Começam a crescer como uma lousa em branco e assumem a cor em resposta a uma molécula que multiplica essa enzima. Você só precisa regá-las com água com uma solução de etanol ou, acredite se quiser, cerveja velha.

A Revolution Bioengineering foi fundada por Braun e seu parceiro Keira Havens. Os biólogos trabalharam juntos na Colorado State University, onde eles colaboraram em um projeto financiado pelo departamento de defesa para desenvolver plantas que podem identificar explosivos.

"Sempre tivemos uma inclinação empreendedora e queríamos saber se havia oportunidade para fazer uma diferença, e como podemos desmistificar esta tecnologia", explica Braun ao portal Fast.Company.

Os parceiros agora buscam crowdfunding para materializar a ideia. Por US$ 42, é possível adquirir uma planta, por US$ 89, leva três. Porém, quem decidir colaborar com o projeto terá que esperar um pouco, pois a entrega do primeiro lote de plantas está prevista para a primavera de 2017.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.