Fred Prouser/Reuters
Fred Prouser/Reuters

FedEx vai premiar micro e pequenos negócios em programa de incentivo

A 6ª edição do Programa FedEx para Micro e Pequenas Empresas vai oferecer prêmios de até R$ 175 mil e mentoria de negócios para os vencedores com histórias de impacto; inscrições estão abertas até 10 de julho

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2022 | 15h22

O número de micro e pequenas empresas no Brasil teve um aumento recorde no último ano. Segundo levantamento do Sebrae, foram registrados 3,9 milhões de novos empreendedores apenas em 2021, com incremento de 19,8% em relação a 2020. Com o intuito de impulsionar esse crescimento, a 6ª edição do Programa FedEx irá premiar as três melhores histórias de micro e pequenos empreendedores.

O primeiro colocado receberá R$ 175 mil, o segundo, R$ 100 mil e o terceiro levará R$ 75 mil. Além disso, os vencedores contarão com uma mentoria de negócios conduzida pelo investidor Renato Mendes, cofundador e sócio da F5 Business Growth e professor na pós-graduação do Insper e da PUC-RS. As empresas selecionadas serão anunciadas no dia 4 de agosto no site da iniciativa.

Lançada nos Estados Unidos em 2012, a iniciativa está presente em dez países, incluindo Brasil, México e Argentina. Podem participar micro e pequenas empresas baseadas no Brasil com fins lucrativos e com até 99 funcionários. Para se candidatar, é preciso contar brevemente a história do negócio e há possibilidade de fazer um vídeo contando sobre a empresa e a missão.

Os interessados devem estar com CNPJ ativo, atividade ininterrupta por pelo menos seis meses e ter receita de até R$ 4,8 milhões durante o último ano fiscal completo. Franquias e vencedores de edições anteriores do programa não podem concorrer. As inscrições estão abertas até 10 de julho e podem ser feitas gratuitamente neste link.

Uma das empresas contempladas em 2021 foi a paraense Paraoil. Especializada na extração de óleos e manteigas à base de sementes naturais amazônicas, o terceiro lugar da última edição do programa passou por uma consultoria com um operador logístico.

Nesse contexto, começou a exportar os produtos para os Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão - no mesmo ano, as exportações representaram 20% da receita total. As sementes utilizadas são adquiridas de pequenos produtores locais que trabalham de forma sustentável. Com isso, a expansão da empresa resultou em um aumento da demanda por fornecedores, impactando positivamente a comunidade local.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.