Fecomercio: faturamento do varejo desacelera em maio

Encerramento do primeiro semestre deve ter mesmo nível de 2010

Estadão PME,

14 de julho de 2011 | 13h52

O faturamento do comércio varejista em maio cresceu 2,7% em comparação com o mês anterior na Região Metropolitana de São Paulo.  O bom resultado, no entanto, está 3,8% menor do que o do mesmo período de 2010.  Os dados são de uma pesquisa conduzida pela  Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) em parceria com a e-Bit. De acordo com o levantamento, no ano, o faturamento do setor acumula queda de 0,4%.

O setor com melhor desempenho no período foi o de vestuário, tecidos e calçados. O bom resultado foi motivado pelo Dias das Mães, que obteve o crescimento de 33,6% comparado a abril e 10,7% maior que o de maio do ano anterior. No entanto, apesar do expressivo aumento nas vendas, o setor acumula alta de apenas 0,2% no ano.  Os consumidores também compraram mais carros e usaram mais o comércio eletrônico – os índices nos dois setores que mais cresceram ao lado de roupas e sapatos foram de 14,4% e 0,4%, respectivamente, em relação a abril. Comparados ao mesmo mês de 2010, foram de 13,1% e 10,4%.

Os números mostram que os paulistas compraram mais eletrodomésticos e eletroeletrônicos no período o que fez com que os índices dos setores subissem 10,5% mês a mês. No entanto, o acúmulo no mês de maio ficou no vermelho, com – 6,02% ao ano.

Materiais de construção também tiveram vendas similares e marcaram - 5,8% desde o começo deste ano, apesar do crescimento de 7,2% entre abril e maio.

Comparados os dados do mês de maior de 2010 e 2011, o recuo foi maior nas lojas e departamento, de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, móveis e decoração e material de construção que apresentaram faturamento inferior neste ano.

LEIA TAMBÉM

Paulistano gasta mais com ração do que com feijão

Tudo o que sabemos sobre:
ComércioVarejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.