Verinaldo Dantas buscará ajuda na internet para concretizar projeto da mochila
Verinaldo Dantas buscará ajuda na internet para concretizar projeto da mochila

Estudante cria mochila para carregar aparelhos eletrônicos com energia solar

Projeto buscará recursos em campanha no site de financiamento coletivo Catarse

Gisele Tamamar, Estadão PME,

09 de maio de 2015 | 07h00

Ficar sem bateria no smartphone e não ter onde carregar pode trazer transtornos e aborrecimentos para quem depende da tecnologia. Foi pensando nesse tipo de situação que o estudante Verinaldo Dantas desenvolveu com mais dois amigos uma mochila inteligente para carregar dispositivos eletrônicos com energia solar.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

A equipe batizou a mochila de EvA e buscará recursos no segundo semestre para lançar o produto via campanha no site de financiamento coletivo Catarse. A empresa até chegou a lançar uma campanha no site Kickante, que acabou não dando certo.

Dantas é estudante do curso informática para negócios da Fatec e participou do programa Ciência sem Fronteiras para fazer a chamada graduação sanduíche. O estudante cursou um ano na Northern Virginia Community College, nos Estados Unidos, onde teve aulas relacionados ao empreendedorismo e a possibilidade de criar projetos.

 As aulas resultaram no projeto da mochila inteligente e a vontade de tirar o projeto do papel no Brasil. "Eu e mais dois colegas desenvolvemos a mochila usando os princípios de sustentabilidade", diz.

A mochila tem placas para captação de energia solar e uma bateria que fica completamente carregada em 12 horas. Uma carga completa é capaz de carregar dez vezes um smartphone modelo iPhone 5S, por exemplo. O usuário pode carregar a bateria em etapas, que não sofre perda de energia - a bateria também pode ser carregada na tomada.

O modelo ainda é equipado com dispositivos que terá portas USB, saída HDMI, entrada e saída de áudio, mini speakers, microfone para reconhecimento de voz, disco rígido, serviço para armazenagem de arquivos nas nuvens, conexão Bluetooth e Wi-Fi. "O usuário não ficaria na mão em qualquer situação e consegue acessar seus dados", afirma Dantas.

Dantas tem a 'versão beta' da mochila e os recursos pedidos na campanha ajudarão na confecção do modelo final que deverá ser comercializado. A mochila terá três versões com preços entre R$ 1.150 a R$ 1.650.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.