Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Estimular o funcionário sempre e não ter medo de errar. Cinco dicas de empreendedores experientes

Estadão PME reuniu conselhos de empresários de sucesso para ajudar os interessados em abrir seu próprio negócio

ESTADÃO PME,

12 de novembro de 2012 | 06h40

A troca de informações e experiências com outros empresários é importante e recomendada para quem estiver interessado em abrir seu próprio negócio e também para quem já é dono da própria empresa. Por isso, o Estadão PME conversou com empresários experientes e reuniu dicas que podem ser úteis no mundo do empreendedorismo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O empresário Semaan Halim Mouawad, de 69 anos, fundou uma rede de lojas que leva seu nome e engloba o comércio varejista, atacadista, além de distribuidora e loja virtual. A sugestão do empresário é não ter preguiça de trabalhar. E nada de ficar só atrás de uma mesa dando ordens. Semaan não fica trancado no escritório. Ele trabalha em uma mesa no meio da loja mesmo, orienta funcionários, atende clientes e resolve problemas. “No escritório eu não vejo se o pessoal está trabalhando, não vejo os clientes”, observou.

Thrassyvoulos Georgio Petrakis administra o restaurante grego Acrópoles, localizado em São Paulo. “O mais importante em um restaurante, além da qualidade, é o serviço. Para dar certo é preciso saber o que o cliente deseja e isso a gente descobre conversando com eles. Se você quer ter qualquer tipo de negócio, precisa permanecer no local”, ensina.”, recomendou.

Uma das mais importantes empresárias do Brasil, Chieko Aoki, fundadora da rede Blue Tree Hotels, é perfeccionista e estipula metas agressivas e monitora os resultados semanalmente. “Diante de metas difíceis, mas possíveis, como as da nossa rede, o funcionário descobre uma força interna incrível”, justificou.

Um dos principais empresários do País, Abilio Diniz adota como lema: "se for para errar, que sejam apenas erros novos.” O empresário não vê sentido em uma empresa optar por não crescer. Para ele, investir no desenvolvimento do negócio é uma forma de ganhar escala para reduzir despesas e estimular funcionários com a perspectiva de ascensão profissional. “Desde que você se estruture, saiba o que quer e para onde vai, crescer é muito importante”, disse.

Para José Efromovich, dono da companhia aérea Avianca, "oportunidades são como trens que passam na frente de casa. Mas que não andam em círculos, andam em linha reta. E se esse trem passar, ele vai embora, esse ninguém mais pega.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.