Divulgação
Divulgação

Fundadora da franquia Sodiê vai ser entrevistada via Facebook amanhã; participe

Conversa com Cleusa Maria será transmitida pela página do Estadão PME no Facebook, nesta quarta-feira, a partir da 11h30; leitor pode participar com perguntas

Estadão PME, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2016 | 12h22

Cleusa Maria é filha de boia fria, sem curso superior e, até pouco tempo, sem nenhuma experiência em varejo. Apesar de todos os fatores contrários, ela criou a Sodiê Doces, uma rede com mais de 200 lojas e que é referência na fabricação e venda de bolos artesanais no Brasil. O segredo para o sucesso ela conta na próxima quarta-feira, 13, em entrevista ao vivo para o Estadão PME. 

A conversa terá transmissão pela página do Estadão PME no Facebook, a partir das 11h30. Para participar, basta enviar suas perguntsa nos comentários do Facebook. durante a entrevista. O link para a entrevista estará, também, na página do Estadão na rede social.

Foi no interior de São Paulo, mais especificamente em Salto, que começou a história da rede. Cleusa Maria era empregada doméstica e começou a fazer bolos a pedido de uma ex-chefe, sem nunca ter preparado algo parecido na vida. Mas entre o primeiro bolo até o sucesso hoje, o caminho foi árduo. "Quando você começa ninguém vai atrás de você", diz.

Nos primeiros dois anos, Cleusa teve de conciliar o emprego diurno com a produção caseira. Na hora do almoço, ela ia para casa e assava a massa. Na parte da noite montava os doces e, no dia seguinte, antes do trabalho, entregava a encomenda. “Trabalhava de madrugada, até duas da manhã”, lembra. “Meu filho dormia debruçado na mesa ao meu lado.”

Hoje, a empresária enfrenta concorrência direta de grandes redes de bolos artesanais, porém acredita na solidez do seu negócio para seguir expandindo com segurança. "O desafio é conscientizar as pessoas que só com qualidade, sem troca de produto, sem a mania que às vezes a gente tem de ganhar um pouco a mais trocando um produto é que vamos conseguir. Com crise ou sem crise, ninguém vai trocar o leite condensado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.