Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Estacionamentos motivam empresa a criar site de reserva online de vagas para os motoristas

Bartholomeu Cruz criou os sites Reservagas e o Vaga Barata

Gisele Tamamar, Estadão PME,

30 de julho de 2014 | 07h03

A dúvida sobre como ganhar dinheiro com soluções interessantes para melhorar a mobilidade urbana passa longe dos questionamentos cotidianos de Bartholomeu Cruz. O empreendedor lançou o Reservagas e o Vaga Barata. São dois sites que oferecem basicamente o mesmo: a possibilidade do usuário reservar vagas de estacionamento pela web.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A base de estacionamentos dos dois sites é a mesma, mas o Vaga Barata é, digamos, a plataforma de varejo do Reservagas e conta com mais ofertas para o consumidor. Segundo o sistema, é possível, por exemplo, ganhar desconto de 28% na mensalidade de um estacionamento localizado em uma das regiões mais caras de São Paulo, a Avenida Faria Lima – o valor cai de R$ 350 para R$ 250.

:: Leia também ::

O desafio da mobilidade urbana

Ferramenta conecta caminhoneiro e também auxilia no rastreamento

Carona virtual testa viabilidade como negócio

Sócios apostam no compartilhamento de veículos no Brasil

“Existe uma ociosidade nos estacionamentos e o dono está a fim de fazer bons negócios. E bons negócios para ele é bom para o consumidor também”, conta Cruz, que ganha uma porcentagem pelo valor negociado (varia entre 15% a 30%) e uma taxa de conveniência de R$ 3 quando a compra é feita de maneira online. O cliente também pode reservar o espaço diretamente nos estacionamentos.

“A empresa dobrou de tamanho nos últimos cinco meses por conta dessa mudança de rota. Não existe hoje um hábito de consumo de reservar vagas de estacionamento pela internet. Mas temos buscado outras formas de atrair o consumidor, com uma equipe de vendas, marketing e um trabalho direto com funcionários de empresas multinacionais”, conta.

Bartholomeu Cruz conta atualmente com 15 funcionários e prefere, por enquanto, não abrir números do negócio. A empresa também trabalha por meio de convênios com estacionamentos próximos ou dentro de aeroportos. No caso de um estabelecimento localizado perto de Congonhas, por exemplo, o preço de R$ 30 cai para R$ 20 com a intermediação da ferramenta.

Além da reserva de vagas, a empresa ainda tem mais duas unidades de negócios que ajudam a aumentar o faturamento. O empresário lucra com o serviço na área de valets e com a venda de mídia nos estacionamentos. Cruz conta ainda que uma ação, por exemplo, distribuiu folhetos de um lançamento imobiliário e quem visitava o stand da incorporadora ganhava uma diária para estacionar. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.