JB Neto/AE
JB Neto/AE

Esforço do empresário garante retorno rápido de qualquer franquia

Dedicação do empreendedor, principalmente nos dois primeiros anos, é fundamental

ligia aguilhar, Estadão pme,

11 de julho de 2011 | 10h42

O tempo de retorno do investimento é fundamental na escolha de uma franquia. Quem deseja lucrar no curto prazo, encontra hoje no mercado diversas opções de negócios que garantem os primeiros dividendos em até 24 meses (enquanto a média é de até 36).

E a popularidade das redes com esse perfil não para de crescer. Só as microfranquias (modalidade de baixo investimento e com chances de lucro ainda mais rápido) já representam 10% do faturamento do setor de franchising no Brasil.

Ter uma empresa rentável no curto prazo, no entanto, depende também de muitos outros fatores. "A afinidade do empreendedor com o negócio é essencial para uma empresa dar dinheiro", afirma a vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Maria Cristina Franco. "Depois, vem a capacidade de investimento e o conhecimento do sistema de franquias", analisa.

A empresária Janaína Brito de Andrade, de 28 anos, comprovou na prática essa tese. Há seis anos ela adquiriu uma unidade da clínica de estética Emagrecentro já em funcionamento na cidade de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O espaço, que na época tinha três anos de existência, só dava prejuízo, embora a previsão de retorno fosse de seis meses.

Em dois meses à frente do negócio, Janaína, que antes era representante comercial, não só obteve o retorno do seu investimento como também dobrou o faturamento esperado (cerca de R$ 30 mil). Em três meses, o lucro triplicou. E em seis meses ela abriu outra unidade.

Esses resultados foram fruto de melhorias feitas pela empreendedora, como a reforma da fachada, a distribuição de vales para degustação dos serviços oferecidos, a publicação de anúncios em jornais e outdoors da região e a instalação de música nos ambientes das clínicas.

Hoje, ela é dona de quatro unidades da Emagrecentro, duas academias e dois salões de cabeleireiro, todos franquias da mesma rede. "Antes de ser dona, eu fui cliente da empresa, o que me ajudou a perceber as falhas do local", explica.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.