JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Entusiasmo é arma para furar a fila das franquias

Capital é importante, mas as redes disputadas dão valor ao interesse e à disposição do candidato no processo de seleção

Gisele Tamamar, Estadão PME,

01 de novembro de 2014 | 08h34

Se a franquia está consolidada ou entrou na moda, uma coisa é certa: a disputa para abrir uma nova unidade é grande. Como as redes dão preferência para pessoas que já são franqueadas na hora de expandir em determinada região, a relação de candidato por vaga é ainda maior. Mas a dica dada pelos franqueadores é para não perder as esperanças. É possível furar a fila de interessados. Com o investimento mínimo exigido no bolso, pula na frente o empreendedor que demonstra empolgação e comprometimento para se dedicar integralmente ao negócio.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A Los Paleteros abriu sua primeira unidade no fim de 2012. Desde então já recebeu mais de 7 mil cadastros formais de pessoas interessadas em uma franquia, 4 mil deles somente neste ano. Além do dinheiro necessário, um dos sócios da rede, Gean Chu, afirma que a experiência do candidato faz diferença na seleção. “Na entrevista, vemos o brilho do olho da pessoa, se ela conhece nossa marca, é engajada, se não pensa apenas no dinheiro, mas se identifica com a nossa missão e valores”, afirma Chu, que pretende fechar o ano com 72 unidades e um faturamento de R$ 65 milhões a R$ 70 milhões.

Formado em administração de empresas, Henry Caus é um dos que comemora o ingresso na rede. Ele abriu a primeira unidade da sorveteria em Sorocaba no começo do ano, inaugurou outra na mesma cidade em junho e deve abrir mais duas em shoppings de São Paulo até o fim do ano. O que fez dele o escolhido? “Acho que porque tenho perfil administrador e queria me dedicar 100% à marca”, conta Caus, que largou o emprego em março para se dedicar à rotina de franqueado.

Já o Mundo Verde registra uma média mensal de 100 interessados. Do total, um terço passa no primeiro filtro. “O franqueado ideal deve possuir atributos que o qualifica para ter sucesso na rede. Além do investimento, a disponibilidade para estar a frente do negócio. O cliente gosta de ser atendido pelo dono e, talvez, essa seja uma das razões para o sucesso de um modelo de franquia”, opina o presidente da rede, Carlos Wizard Martins.

A procura pela franquia da Chilli Beans também é grande: cerca de 200 interessados por mês. O fundador da marca, Caito Maia, não está em busca de pessoas que são apenas investidoras, mas quem valorize a história e o sonho da companhia. A cada 15 dias, um grupo de candidatos é convidado para visitar a empresa e é recepcionado pelo fundador. “Você vê a reação das pessoas, vê quem está ali só interessado em investimento e quem tem amor pela marca. Não é que você acerta em tudo, mas acaba desenvolvendo um feeling para ver as pessoas que têm a ver.”

O diretor-geral do Bob´s, Marcelo Farrel, destaca que a capacidade financeira do candidato é importante. Mas na dúvida entre um candidato com o recurso mínimo exigido e outro mais capitalizado, a escolha será por quem tiver o perfil adequado e a intenção de se “dedicar profundamente ao dia a dia da operação”. “A medida que identificamos um candidato com potencial, não deixamos ele escapar”, pontua Farrel.

Só este ano, a rede Tip Top já recebeu mais de 1,4 mil cadastros de interessados em abrir uma loja da marca. Depois de uma primeira triagem, o gerente de expansão da marca, Ricardo Marcondes, afirma que o nível de interesse da pessoa é um ponto determinante no processo. “Alguns mandam o cadastro, ficamos meses conversando, trocando figurinhas até conseguir avançar no processo. Parte um pouco do franqueado se destacar. A motivação e a demonstração do nível de interesse que ele apresenta é um dos fatores mais importantes.”

De acordo com o diretor comercial da Cia. Hering, Ronaldo Loos, são atendidos cerca de 3 mil interessados na franquia Hering Store por ano. “Ele não precisa ter o maior capital, mas sim recursos suficientes para aderir ao nosso sistema. Acredito que nossa principal particularidade seja a busca por franqueados que queiram investir em um projeto de vida, isto é, queremos do nosso lado aquelas pessoas que operam pessoalmente as lojas, fazendo das franquias seu principal negócio.” 

:: Pontos decisivos ::

Investimento

Candidato precisa ter capital mínimo exigido. Apresentar uma verba maior não é garantia de vantagem na seleção.

Interesse

Conta o interesse do empresário. Ganha destaque quem encara o negócio como projeto de vida.

Dedicação

A disposição para se envolver no dia a dia da operação é um ponto valorizado pela franqueadora.

 

Tudo o que sabemos sobre:
franquiaEstadão PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.