Reprodução
Reprodução

Empresas incentivam cliente a cozinhar em casa e pretendem lucrar alto com essa proposta

Modelo de negócio pretende atrair, principalmente, quem mora sozinho ou quem quer melhorar a experiência de cozinhar

Marcella Ferndandes, especial para o Estado,

08 de abril de 2014 | 07h00

Chamar os amigos e colocar a mão na massa. Essa é a proposta do Alecrim, serviço de entrega de kits para cozinhar em casa. O negócio veio como forma de responder à seguinte pergunta: como diminuir o tempo do ritual da alimentação (planejar, comprar, cozinhar, comer, lavar), sem reduzir seu valor nutricional e emocional?

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A novidade brasiliense começou a funcionar esse fim de semana. Você escolhe um dos menus (mexicano ou de Páscoa) e recebe ingredientes e a receita em casa. O objetivo é atingir jovens que moram sozinhos e têm interesse por culinária, mas não tem tempo e nem prática.

 

Dar autonomia às pessoas e proporcionar momentos de união por meio do alimento é a filosofia por trás dos potinhos com legumes picados. Essa ideia aparece no texto da receita, que vem na forma de passo a passo e surgiu da necessidade de cinco jovens recém-formadas em trabalhar com alimentação como um elemento promotor de saúde, mas fora da lógica tradicional do nutricionismo.

"Quando o alimento vira só algo para encher sua barriga, você come qualquer coisa e ai tem todas essas distorções que qualquer produto que se diz alimentício serve", explica a nutricionista e sócia da Alecrim, Camilla Ceylão, 24 anos.

Cozinha simples. Foi para discutir empreendedorismo e inovação na área nutricional que Camilla, junto com as colegas de curso Giovanna Soutinho, 23 anos, e Luiza Torquato, 24, criaram o Aerar em julho de 2013. O evento consistia em encontros semanais com cerca de dez pessoas para compartilhar inquietações e tentar transformá-las em propostas reais.

Elas se apoiaram na metodologia do design thinking, que propõe testar na prática a ideia antes de lançá-la no mercado. "Não  tinha a menor ideia do que ia dar. Não sabia se ia no fim das contas ia escrever um artigo, fazer uma ação, uma intervenção urbana ou criar um serviço. Acabou que a gente resolveu que queria tocar o negócio", conta Camilla.

Depois de três meses de discussões, foi a hora de testar o serviço. A também nutricionista Paula Gabriela Chianca e a chef Luiza Buscariolli entraram no time. O grupo vendeu sete kits para amigos com o perfil de público-alvo e escutou atentamente os feebacks. O principal ajuste foi no tamanho das porções, considerado grande por alguns no começo.

A primeira proposta concreta era ajudar quem saiu de casa há pouco tempo a cozinhar com mais qualidade no cotidiano, oferecendo porções individuais de alimentos simples. Durante o planejamento, o negócio evoluiu até os kits, sempre reforçando o elemento afetivo nas refeições. Pensando nisso, as jovens nutricionistas pensam em trabalhar com empresas no futuro, especialmente como team building, atividades de integração e treinamento em equipe.

Vai lá e faz. O gosto de Camilla, Giovanna e Luiza pelo empreendedorismo começou na faculdade. Alunas de Nutrição da Universidade de Brasília, todas trabalharam na Nutrir – Consultoria em Nutrição, empresa júnior do curso. Camilla e Luiza foram, inclusive, fundadoras da EJ, em 2009.

Para Camilla, o perfil empreendedor começou a ser construído nesse momento. Antes, não pensava em ter um negócio próprio. "Isso acabou mudando pela vontade de fazer algo para mudar a realidade. Daí que veio a Nutrir, de querer fazer algo melhor pro curso, uma experiência mais prática", revela.

Com a empresa júnior, a então estudante se envolveu cada vez mais com o empreendedorismo. Passou a ter contato com jovens empreendedores de startups e em 2012 participou da organização do Concentra – Encontro de Empresas Juniores do Distrito Federal. Camilla também é parte do Choice, movimento de jovens engajados com negócios de impacto social do Brasil, criado em 2011 pela Artemisa.

Você chef. Em São Paulo, duas empresas têm propostas semelhantes ao Alecrim, mas com uma pegada gourmet. O Le Box, aberto em abril de 2013, oferece kits com prato principal, entrada, sobremesa e bebida. "A ideia é fazer o cliente ser o chef da sua cozinha de uma maneira pratica, rápida e sem estresse", explica Melissa Garcia, proprietária da empresa.

A cada semana são dez opções de pratos principais, que servem duas pessoas. Basta escolher o menu e os ingredientes chegam junto com a receita numerada passo a passo na sua casa. O tempo médio de preparo é de 30 minutos.

Desde março, o site também tem um serviço de assinatura, o Clube Le Box, que dá direito a uma refeição na primeira quinta-feira do mês. Os preços variam de R$ 80,00 a R$ 115,00 e o tempo mínimo de adesão é de três meses. O plano é abrir franquias da empresa e ampliar o atendimento do clube em cidades próximas a São Paulo.

Também com uma proposta gourmet, começou a funcionar em fevereiro de 2013 o Gulalá. Atualmente são feitos cinco mil kits por mês na capital paulista. No site, são ofertadas de oito a 12 opções por semana, totalizando quase 50 receitas. O valor calórico dos alimentos pode ser consultado online.

O tempo de preparação varia de 15 a 45 minutos, de acordo com a dificuldade do prato. Segundo o sócio da empresa, Rodrigo Helcer, o objetivo é alcançar desde quem não sabe fritar um ovo até quem tem experiência com gastronomia e quer se desafiar com ingredientes elaborados. "A proposta é, sobretudo, trazer para dentro do universo da gastronomia quem achava que cozinhar era muito difícil", afirma o empresário.

Para facilitar o preparo dos pratos mais complexos, há uma equipe especializada em traduzir a criação do chefe para uma linguagem acessível. Em vez de escrever 'marinar', por exemplo, o texto já explica o procedimento. A cada prato novo, cinco pessoas sem experiência testam e fazem ajustes antes de a receita chegar ao cliente.

Serviço Alecrim

Página no Facebook: https://www.facebook.com/oialecrim

Entregas somente no final de semana

Serviço Le Box

Site: http://www.lebox.com.br/

Página no Facebook: https://www.facebook.com/curtalebox

Página no Instagram: http://instagram.com/curtalebox

Encomendas ate as 16h do dia anterior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.