Reprodução
Reprodução

Empresas empreendedoras são mais presentes no Norte e Nordeste do País

Os estados com maior concentração de pessoal ocupado nesse tipo de empresa são Maranhão e Roraima

Daniela Amorim, Agência Estado,

12 de dezembro de 2014 | 10h00

As empresas empreendedoras estão mais presentes no Norte e Nordeste do País, segundo as Estatísticas de Empreendedorismo 2012 divulgadas nesta sexta-feira,12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A concentração de unidades locais das companhias de alto crescimento é maior nessas regiões tanto para o número absoluto de unidades quanto para o pessoal ocupado.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Os estados com maior concentração de pessoal ocupado nesse tipo de empresa são Maranhão (onde 31,8% dos ocupados estão em companhias empreendedoras), Roraima (27,3%), Acre (25,1%), Amapá (23,3%) e Tocantins (23,0%).

Dentre as empresas de alto crescimento, as seções que mais empregaram em 2012 foram indústrias de transformação (21,5%); atividades administrativas e serviços complementares (19,6%); comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (17,5%); e construção (17,2%).

:: Leia também ::

Empresas empreendedoras desaceleram contratações e reduzem salários

Empresas de grande porte reduzem participação entre as empreendedoras

A participação das mulheres no pessoal ocupado assalariado aumentou entre 2010 e 2012 nas empresas de alto crescimento (de 32,4% para 33,5% no período) e nas companhias gazelas (de 33,0% para 35,9%), acompanhando a tendência verificada nas empresas ativas com 10 ou mais pessoas ocupadas assalariadas (de 34,2% para 35,7%).

Nas empresas de alto crescimento, a participação feminina no pessoal ocupado assalariado é maior nas seções saúde humana e serviços sociais (74,5%); educação (64,2%); alojamento e alimentação (58,7%); e atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (57,9%). O setor de construção é o que apresenta a maior concentração de homens (91,6%).

Quanto ao nível de escolaridade dos trabalhadores, as empresas gazelas apresentaram, em 2012, menor participação de empregados com ensino superior (apenas 7,6% em relação ao total de assalariados) do que as empresas de alto crescimento em geral (9,3%) e do que o total de empresas ativas com 10 ou mais pessoas ocupadas assalariadas (11,5%). No entanto, houve melhora no grau de instrução de funcionários em relação a 2011 nos três grupos de empresas.

Nas companhias empreendedoras, destacam-se pelo elevado percentual de pessoal ocupado com ensino superior as seções educação (52,8%); artes, cultura, esporte e recreação (40,4%); atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (39,7%); informação e comunicação (36,3%); e eletricidade e gás (36,1%). Os menores porcentuais foram registrados nos setores de agricultura (4,2%); e água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação (4,4%). 

Tudo o que sabemos sobre:
estadão pmeibgeempreendedorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.