Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Empresas empreendedoras desaceleram contratações e reduzem salários

É o que mostra pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 12 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Daniela Amorim, Agência Estado,

12 de dezembro de 2014 | 10h00

As companhias empreendedoras mantiveram sua participação entre as empresas ativas no País, mas desaceleraram o ritmo de contratações e reduziram os salários, segundo as Estatísticas de Empreendedorismo 2012 divulgadas nesta sexta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Na pesquisa, as empresas de alto crescimento são aquelas que aumentaram em pelo menos 20% ao ano o número de empregados por um período de três anos consecutivos e tinham pelo menos 10 pessoas ocupadas assalariadas no ano inicial de observação.

Em 2012, o País tinha 35.206 empresas consideradas de alto crescimento, acima das 34.528 registradas em 2011. No entanto, essas empresas empreendedoras ainda equivaliam a 0,8% do total de companhias ativas na economia, mesmo montante registrado no ano anterior. Elas também respondiam por 7,6% do total de empresas com 10 ou mais pessoas ocupadas assalariadas, contra uma fatia de 7,7% em 2011.

:: Leia também ::

Empresas de grande porte reduzem participação entre as empreendedoras

Empresas empreendedoras são mais presentes no Norte e Nordeste do País

No triênio de 2010 a 2012, as empresas empreendedoras apresentaram um crescimento médio de pessoal ocupado de 167,8%, o equivalente à geração de 3,3 milhões novos postos de trabalho, ou 58,3% das vagas criadas pelo conjunto de empresas ativas com ao menos uma pessoa ocupada assalariada no período. No entanto, nos triênios anteriores, a taxa de crescimento de empregados era de aproximadamente 175,5%, o equivalente a uma queda de 7,6 ponto porcentual no triênio encerrado em 2012.

Houve ainda uma redução no salário médio mensal, de 2,7 salários mínimos em 2010 e 2011 para 2,5 salários mínimos em 2012. Entre as empresas de alto crescimento, destacam-se por pagar salários médios mensais acima da média os setores eletricidade e gás (8,2 salários mínimos); indústrias extrativas (7,4 salários mínimos); e atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (5,9 salários mínimos).

A publicação traz ainda informações sobre os setores de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e Atividades Intensivas em Conhecimento (AIC) pela primeira vez. Em 2012, das 38.003 empresas dos setores AIC, 3.411 (9,0%) eram empresas de alto crescimento. Entre as 1.809 empresas dos setores TIC, 182 (10,1%) eram empreendedoras. Das 6.635 empresas que pertenciam simultaneamente aos setores AIC e TIC, 845 (12,7%) eram de alto crescimento. 

Tudo o que sabemos sobre:
estadão pmeibgeempreendedorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.