Reprodução
Reprodução

Empresários lançam portal para contratar tropa de elite para mercado de startups

Batizado de Eu Sou Caveira, portal pretende solucionar carência de mão de obra para as startups brasileiras

Renato Jakitas, Estadão PME,

10 de maio de 2012 | 14h21

 Cansado de vasculhar agências de recursos humanos atrás de gente para trabalhar e acabar voltando para o escritório, quase sempre, sem nenhum sucesso, um grupo de empresários brasileiros decidiu inovar no processo de seleção. Donos de negócios que competem no segmento de startups – como se convencionou chamar as empresas focadas em soluções tecnológicas – eles uniram forças e encamparam uma espécie de “peneira virtual” para mão de obra especializada.

Sem cobrar nenhum centavo de contratados e contratantes, os empreendedores lançaram uma página na internet que convida os próprios candidatos a se apresentarem ao mercado. Batizada de Eu Sou Caveira (www.eusoucaveira.com), a iniciativa concede espaço para que o interessado comprove porque merece ocupar uma das muitas posições atualmente vagas no setor. A cada três meses, as empresas fecham um balanço de propostas e convidam os melhores para entrevistas individuais.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

“A ideia é inverter a lógica. Queremos os melhores caras, os mais feras. Mas concluímos que apenas seria possível localizar essa gente se lançássemos um processo de recrutamento reverso. Não sou eu que vou atrás dele. É ele quem vem atrás de mim. O cara precisa ter iniciativa e dizer para o mercado porque ele é bom”, afirma Amure Pinho, CEO da Sync, especializada em tenologia interativa, um dos idealizadores do projeto.

A começar pelo nome, o portal é todo inspirada no filme Tropa de Elite, do diretor José Padinha, que retrata um grupo especial da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o Bope. Bordões divulgados pelo personagem Capitão Nascimento (estrela do filme), como “Eu sou Caveira” ou “Nunca serão”, fazem parte da comunicação do portal, que pretende recrutar, neste primeiro momento, 25 profissionais de área como desenvolvimento, design, marketing, redação e jornalismo.

“Quando a gente pede que o candidato indique seus principais projetos executados, deixamos claro que buscamos apenas perfis excepcionais, gente que está acima da média. Basicamente, é esse tipo de gente que o mercado de startup requer”, conta.

O portal foi todo concebido – da ideia ao  lançamento – em menos de 24 horas, em fevereiro deste ano, na cidade de São Paulo. Na ocasião, os empresários participavam do Campus Party, evento que reúne a cadeia produtiva brasileira, além de estudantes e aficionados da área de tecnologia virtual.

Divulgado apenas em redes sociais como Facebook e Twitter, o site recebeu 11 mil visitas desde então. Dessa movimentação, foram registrados 227 cadastros e, de acordo com Amure Pinho, 150 currículos atraíram algum interesse dos 15 empregadores que integram a iniciativa.

“Neste momento, fechamos a nossa 'primeira peneira'. Estamos convidando os candidatos para entrevistas individuais. Vamos dar início a outro processo de seleção agora, com previsão de término em agosto”, informa Pinho.

Os salários, segundo o empreendedor, variam entre R$ 2 mil, para estudantes ou quem está no início de carreira, até R$ 7 mil, para os mais experientes. “Este é um mercado em que não existe desemprego. Quem conhece do assunto, ou está empregado ou empreendeu seu próprio negócio. Por isso é tão difícil encontrar um bom profissional. Mas vamos inovar, como já estamos, e localizar essa gente”, conta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.