Divulgação
Divulgação

Empresários investem R$ 8,5 mi em negócio envolvendo células-tronco do dente de leite

Empresa está localizada em Campinas e também oferece mapeamento genético

Gisele Tamamar, Estadão PME,

28 de outubro de 2014 | 07h00

O dentista José Ricardo Muniz Ferreira e o biólogo Roberto Fanganiello estão otimistas com o potencial do uso de células-tronco em aplicações terapêuticas. Tanto que os sócios e mais investidores idealizaram um negócio especializado na extração, expansão e preservação de células-tronco da polpa do dente de leite. O investimento inicial para criar a R-Crio, com sede em Campinas, foi de R$ 8,5 milhões.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

"Acreditamos nas possibilidades terapêuticas em um futuro próximo. Não é uma aposta, uma crença. É uma realidade", afirma Ferreira. Durante os estudos, o dentista sempre seguiu a linha de pesquisa sobre regeneração de defeitos ósseos e o uso de células-tronco é uma alternativa para melhora dos resultados.

De acordo com o dentista, a polpa do dente de leite é uma fonte de células-tronco com grande potencial de multiplicação. Na prática, é preciso fazer a extração do dente de leite da criança com 6 a 12 anos de idade. O dente é extraído no consultório de um dentista treinado para garantir o procedimento correto. Depois, o dente é enviado para o laboratório dentro de um prazo de 48 horas para realização do processo até a preservação do material.

Para garantir o sucesso do processo, o dente precisa apresentar um terço da raiz antes de ser extraído para garantir um bom volume da polpa. Além disso, a criança precisa fazer um exame para detectar possíveis doenças infectocontagiosas, que podem invalidar a continuidade do processo. Inaugurada em agosto, a empresa já tem cerca de 400 dentistas credenciados.

Após a extração, avaliação, multiplicação e validação, o material é armazenado por meio de uma técnica que garante a preservação por um longo período de tempo. Por isso, a R-Crio comercializa planos de três, cinco ou dez anos. No caso do plano mais longo, o valor é de R$ 10.840 e pode ser parcelado em até dez vezes.

Mapeamento genético. Além do serviço envolvendo as células-tronco, a R-Crio também oferece o mapeamento genético da criança. No momento que dente é extraído, os profissionais aproveitam para colher a saliva e extrair o DNA. Com o mapeamento, é possível, por exemplo, conhecer o potencial da criança referente a algum esporte (de explosão ou resistência), como ela se comporta em relação a um medicamento, quais alimentos são mais favoráveis ou se ela tem tendência à obesidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.