Estadão
Estadão

Empresário lança plataforma para dar emprego a músicos no Brasil

iMusics já recebeu um aporte de R$ 3 milhões e deve ser aberto ao público em geral a partir de dezembro

Vivian Codogno, O Estado de S. Paulo

07 de novembro de 2016 | 05h00

Apesar das mudanças que a indústria fonográfica vem passando já há alguns anos, esse mercado ainda é capaz de movimentar US$ 15 bilhões no mundo todo, conforme aponta o estudo anual da organização suíça IFPI.

De olho nas demandas diretas e indiretas desse universo, o empresário Ivo Machado lançou o iMusics, plataforma que pretende ser o Linkedin dos profissionais da música. Por lá, será possível exibir trabalhos, contatar produtores, alugar estúdios e até mesmo ter acesso a professores e fonoaudiólogos.

Lançada em outubro em uma versão apenas para convidados, o site deve estar disponível ao público em dezembro, de forma gratuita. A intenção do fundador da empreitada Ivo Machado, que também é um dos sócios-investidores da MovUp, holding de participações que detém, entre outras marcas, a brasileira Acqua Coco, é se tornar, com o iMusics, uma referência para a categoria.

"Se o usuário está em busca de uma banda de casamento, por exemplo, pode encontrar na plataforma discografias, lugares onde já tocou, avaliações", explica. "Escolha feita, ele pode contratar o serviço pelo iMusics e só paga quando o que foi prometido pela banda for entregue", pondera. À frente da área de produtos da plataforma está Eduardo Wexler, cofundador da Loggi e com passagem por startups de tecnologia, como o Peixe Urbano.

Para começar, o iMusics já recebeu um aporte de R$ 3 milhões e, com isso, Ivo Machado pretente possibilitar no iMusics o compartilhamento de informações sobre clientes e prestadores de serviços, além de avaliações. "Nosso desafio, nossa proposta, é fazer o artista amador chegar até o empresario e fazer o empresário empregar seu dinheiro em propostas mais certeiras", explica o empresário.

Tudo o que sabemos sobre:
LinkedinCoco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.