Reprodução
Reprodução

Empresário investe R$ 4,5 milhões para ressuscitar o fliperama

O ex-mecânico Jack Guarnieri incrementa suas máquinas com lâmpadas de LED, áudio e efeitos visuais dignos de cinema

Estadão PME,

01 de julho de 2013 | 17h40

Em tempos de PlayStation, Xbox e Nintendo Wii fica difícil imaginar o fliperama como um arquétipo da tecnologia em função do entretenimento. No entanto, é justamente isso o que tem feito o norte-americano Jack Guarnieri. 

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Ele lançou em 2011 uma fábrica de Pinball, a Jersey Jack Pinball, com o objetivo de ressuscitar as máquina tidas como precursoras do videogame. Ao incrementar seus lançamentos com novidades como lâmpadas de LED multicores, áudio e animações com qualidade de cinema, ele começou a chamar a atenção do mercado. E faturar alto com isso.

Hoje, seu primeiro lançamento, inspirado no tema do filme Mágico de OZ, é considerado um sucesso de vendas, com direito a matéria no portal da rede de televisão CNN. A empresa vendeu em pouco tempo 1,5 mil unidades do pinball, comercializado a US$ 7 mil (cerca de R$ 15,6 mil), cada uma.

"Queremos usar a tecnologia para fazer a melhor máquina de fliperama já lançado no mundo", diz Guarnieri, que começou nesse mercado como mecânico, na década de 70, um emprego que ele então encarava como temporário, mas que o acompanha desde então como sua principal atividade.

"Lancei a empresa e, para falar a verdade, a melhor parte desse trabalho é estar envolvido com algo que eu amo. Então, isso não é trabalho", diz ele, que investiu US$ 2 milhões (cerca de R$ 4,5 milhões) na empresa e, agora, está envolvido em uma versão do jogo inspirada no filme O Hobbit - Uma jornada inesperada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.