Andre Lessa/AE
Andre Lessa/AE

Empresário conta a sua história e diz que pretende vender pizzas no almoço

Domingues queria mudar. Tanto queria que criou uma pizzaria onde tudo é diferente

Ligia Aguilhar, Estadão PME,

31 de agosto de 2011 | 20h25

Domingues Freitas queria algo novo. Tão novo que na sua pizzaria a massa, o forno e até o modo de preparar as pizzas são diferentes. Essa busca por inovação pode parecer estranha, afinal, o ex-fotógrafo abandonou sua profissão original justamente quando o avanço da tecnologia trouxe ao mercado as câmeras digitais.

À frente da Pizza D desde janeiro, o que Domingues descobriu é que precisava mudar seu estilo de vida. Em breve, o empresário deve modificar também o dos paulistanos, pois pretende vender pizzas nos escritórios espalhados pela cidade de São Paulo. E ele quer fazer as entregas na hora do almoço.

Antes disso, porém, o empresário pretende conquistar sua clientela pelas vendas online e por telefone realizadas nas duas unidades da empresa localizadas nos bairros de Vila Madalena e Morro Doce (ambas na zona oeste da capital).

Desafios não faltam no caminho de Freitas. Primeiro, ele precisará convencer os paulistanos de que as pizzas assadas em forno convencional podem ser tão saborosas quanto as feitas naqueles abastecidos com lenha. “Além de deixar a pizza pronta em menos tempo, é ambientalmente correto”, diz. Depois, ele terá de provar que a massa mais crocante e firme - receita do empresário - tem boa qualidade.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Além da preocupação com a massa, Freitas tem cuidado especial com a qualidade dos ingredientes, preparados em uma cozinha central montada em sua casa. De lá, eles seguem para as duas unidades da pizzaria na quantidade exata para cada sabor. Assim, quando chega um pedido, é só montar a pizza, assar no forno durante três minutos e entregar ao cliente.

A ideia é que esse sistema facilite a abertura de franquias. Freitas quer a primeira ainda este ano e mais nove em até três anos. “Depois, quero transformar minha casa em um grande restaurante”, conta.

Antes disso, o empreendedor deve abrir uma unidade no centro da cidade. Assim, fica mais fácil entregar as ‘redondas’ nos escritórios paulistanos.

Confira abaixo um erro, um acerto e uma dica do empresário

:: Uma dica ::

Antes de abrir a Pizza D, Freitas fez quatro cursos de pizzaiolo. “Para começar uma empresa é preciso estudar muito o modelo de negócios e o mercado de atuação porque surgem muitos desafios.” O empreendedor utiliza sua história como exemplo, afinal, ele investiu tudo para abrir um estúdio fotográfico justamente no momento em que esse mercado enfraqueceu.

:: Um erro ::

Freitas fez questão de desenvolver uma massa diferente para sua pizza. No início, porém, algumas ficavam ressecadas, algo que ele só percebeu após pedir a opinião dos clientes. “Todos achavam a massa muito diferente”, conta. O jeito foi voltar para a cozinha, realizar testes e modificar alguns detalhes da receita até encontrar o ponto ideal para consumo.

:: Um acerto ::

De olho no mercado de franquias, Freitas investiu na montagem de uma cozinha central com equipamentos de última geração para armazenar os ingredientes. “Tudo está funcionando bem e garantindo a qualidade das pizzas”, diz. Participar de feiras e eventos para vender seu produto também ajuda a divulgar a empresa entre os consumidores.

::: LEIA TAMBÉM :::

:: Inflação do aluguel sobe em agosto ::

:: Pastel da Maria vai abrir 200 franquias ::

:: A corrida dos shoppings no interior do País ::

:: Simples Nacional: medidas passam a valer em 2012 ::

:: Faturamento do varejo deve subir quase 7% em agosto ::

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.