Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Empresária solteira é mais ambiciosa, já as casadas, são persistentes

Pesquisa foi realizada em março pelo SPC Brasil e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)

Estadão PME,

03 de abril de 2014 | 15h37

Uma pesquisa que acaba de ser divulgada sugere que o perfil de gestão de uma empresária tem íntimas relações com seu estado civil. Enquanto mulheres casadas tendem a vencer pela persistência no comando de um empreendimento, as solteiras dão mais importância à ousadia, com um apetite maior por novos negócios.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O levantamento foi realizado em março pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Dentre as empresárias casadas, quatro em cada dez (42%) atribuem seu sucesso profissional à persistência e à determinação. O percentual é um pouco menor (37%) entre as que são solteiras. Por outro lado, são as empresárias solteiras (20%) quem mais citaram a característica ousadia como fator fundamental na hora de decidir empreender. Dentre as casadas, o percentual cai para 13%.

Na avaliação da economista do SPC Brasil, Luiza Rodrigues, o resultado reflete o acúmulo de funções da mulher que se divide entre o empreendedorismo e a tarefa de esposa e, as vezes, também mãe. “A empresária casada tem uma carga maior de responsabilidade e, para lidar com os múltiplos desafios, se enxerga como uma batalhadora que precisa matar um leão por dia para realizar todas as tarefas”, explica.

Solteiras e casadas também entendem o sucesso profissional de modos diferentes. Para 14% das casadas, o sucesso profissional é sinônimo de ‘negócio conhecido e de boa reputação’. Esse percentual cai para 8% no grupo das solteiras. Em contrapartida, para 22% das mulheres solteiras ser bem sucedida é ver o negócio “crescer a cada ano’.  

“Os dados mostram que as mulheres casadas tendem a ser mais conservadoras e a prezar pela estabilidade do próprio negócio, ao passo que as solteiras tendem a ser mais competitivas”, explica Luiza Rodrigues.

Tudo o que sabemos sobre:
mulherempreendedorismoestadao pmespc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.