Divulgação
Divulgação

Empresária quer faturar R$ 2 milhões com montagem de cenário ecológico para empresas

Temas de sustentabilidade representam 40% do trabalho da empresa de São Paulo

Rodrigo Rezende, Estadão PME,

10 de julho de 2013 | 17h23

Yara Candotti fez de dois gostos distintos uma oportunidade e tanto para empreendedor. Filha de comerciantes, sempre teve as vendas no sangue. E estudante de artes plásticas, desenvolveu um senso estético apurado. Estavam ai os elementos para seu negócio especializado em cenografia corporativa, empreendimento que, neste ano, deve lhe render por volta de R$ 2 milhões em faturamento.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Esse montante, por sinal, é esperado graça a uma novidade no portfólio de serviços. Após investir R$ 100 mil em pesquisas de novos materiais, ela desenvolveu em 2009 uma linha de produtos sustentáveis para a composição do cenário.

O nicho já é responsável por 40% da demanda da Candotti Cenografia, o nome da empresa. E a expectativa é de elevar esse número com o tempo. "Estou estudando materiais derivados de coco para apresentar como solução aos clientes", afirma Yara, que se diz comprometida com a inovação. "Diferencial é pesquisar antes da demanda surgir", explica a empresária. "Sempre tive um lado comercial, pois minha família vem do comércio. O mercado foi me absorvendo como artistas e profissional."

Sem lixo. Atualmente, a empresa de Yara Candotti possui dois funcionários e conta com o trabalho de prestadores de serviços, como marceneiros e montadores. A empresa também destina materiais de forma que considera mais correta. Ao desmontar cenários, doa ou vende itens que podem transformar-se em subprodutos.

Um case de sucesso da Candotti no primeiro semestre foi a feira Viva a Mata, realizada em São Paulo pela Fundação SOS Mata Atlântica, onde a empresa foi responsável pela cenografia focada no reaproveitamento de materiais.

"Usamos placas e cilindros de papelão que configuravam toda a estrutura dos estandes na marquise (Parque do Ibirapuera). Foi um trabalho prazeroso, pois o papelão, acondicionado corretamente, pode ser reaproveitado em outros trabalhos", afirma Yara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.