Divulgação
Divulgação

Empresária que adorava Banco Imobiliário começa a trabalhar com 13 anos e hoje tem 1,3 mil clientes

Para prosperar no mundo dos negócios, empresária recomenda muita leitura e estudo

CRIS OLIVETTE, OPORTUNIDADES,

02 de abril de 2012 | 15h30

 Criada em uma família com mais sete irmãos, a empresária Ednéia Moura conta que quando era criança, suas brincadeiras prediletas eram jogar banco imobiliário ou fazer de conta que era caixa de banco. “Também adorava ir trabalhar com meu pai, que tinha uma mercearia. Eu ajudava a conferir o estoque, ver os preços de compra e venda dos produtos e sabia colocar margem de lucro. Brinquei pouco de boneca, mas bastante de trabalhar.”

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

Seu talento chamou a atenção de um amigo da família. “Aos 13 anos, fui trabalhar para ele como carimbadora de carteiras de trabalho, num escritório de contabilidade. Um ano depois, ele me transferiu para outra empresa que possuía. Comecei na Brasil Informática como recepcionista e telefonista, e cheguei a ser gerente administrativa.”

Em 1991, quando cursava administração de empresas, Ednéia foi convidada por dois colegas a adquirir junto com eles a carteira de clientes de uma empresa de comércio exterior. “Meu patrão deu a maior força e nos cedeu equipamentos como computadores e impressoras.”

Hoje, aos 42 anos, Ednéia é a única proprietária da Bysoft, empresa que desenvolve software e soluções para comércio exterior. “Começamos com dez clientes e hoje temos 1.300, juntos eles geram 90 mil atendimentos de usuários por ano”, explica.

Para se dar bem nos negócios, Ednéia indica muita leitura e estudo. “Também é importante estar conectado com o mundo virtual, como a rede social Linkedin.” Recomenda, ainda, que a pessoa esteja engajada no meio em que deseja atuar e observe como alguns negócios são administrados. Para expandir a visão empresarial, indica a troca de experiências com clientes e a participação em congressos. “Além disso, é fundamental investir no capital humano da empresa.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.