Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Empresária aposta em cautela para crescer com consciência e já fatura R$ 7,1 milhões por ano

Lavasecco conquista o mercado aos poucos, mas espera terminar o ano com faturamento de R$ 8,6 milhões

Renato Jakitas, Estadão PME,

15 de maio de 2012 | 06h40

Ritmo acelerado de contratações, meta agressiva de faturamento e base de franqueados crescendo na casa dos dois dígitos todo ano. A trinca de resultados que agrada a maioria dos empresários não convence Maria Alzira Linares. Fundadora da rede de lavanderia Lavasecco, para ela, crescimento é bom, mas deve ocorrer com cautela para que a empresa não perca a qualidade do serviço prestado.

“Eu sou conservadora mesmo”, afirma a mineira de Cambuquira que decidiu empreender após três décadas no mercado financeiro. “Não temos a menor pressa para crescer. Isso porque não queremos ser grandes, queremos ser competentes”, analisa a empreendedora.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Nessa toada, ela e o marido Márcio Linares, sócio do negócio e também egresso de instituições financeiras, tocam uma rede que em sete anos avançou pouco em número de unidades instaladas – são 15 lojas atualmente, quatro delas próprias.

Mesmo com cautela, o negócio beneficia-se da expansão do setor de lavanderias, que cresceu na casa dos 8% nos últimos cinco anos e projeta faturamento de R$ 860 milhões para 2012, segundo a Associação Nacional das Lavanderias do Brasil.

“A gente está presente em São Paulo, Paraná e Santa Catarina e temos muito cuidado não só do ponto de vista dos territórios a serem ocupados, mas na escolha do franqueado. Isso porque, embora nosso negócio pareça simples, não é. Os clientes apenas nos trazem as roupas que consideram especiais”, declara.

Escorado nesse modelo de gestão, a Lavasecco registrou no ano passado faturamento de R$ 7,1 milhões e, para 2012, a expectativa é elevar o montante para R$ 8,6 milhões (alta de 21,1%).

Para alcançar essa meta, a empresária não contempla a abertura de novas unidades. “Queremos alcançar essa evolução com a nossa base atual, melhorando a gestão e ativando novos clientes”, garante Maria Alzira.

Para tanto, a aposta da Lavasecco vai desde estratégias consolidadas, como agregar serviços à lavagem de roupas (delivery e costuras simples), até benefícios mais atrativos, como a garantia de uma área extensa de cobertura para o franqueado. “Nossa rede está configurada para ter, no máximo, 100 franqueados. Assim, a gente estuda bairro a bairro qual será a cobertura de cada loja. Mas o nosso parceiro tem a maior área exclusiva do setor”, diz a empreendedora.

Confiança.Pacotes de benefício são atraentes, na analise do especialista em franquias Adir Ribeiro, da Praxis Education. No entanto, é o posicionamento da rede que ele destaca como o maior diferencial da rede. “Eles criaram um conceito de lavanderia premium, que justifica um número menor de unidades”, diz.

Para o especialista, o que pode soar como ausência de arrojo por parte dos empreendedores, que apostam no crescimento lento em detrimento de um cenário mais amplo de expansão, reverte-se em oportunidade para o parceiro. “Eles apostam na qualidade, o que transmite para a franquia um grau de confiança maior, fundamental ao setor.” Mesmo assim, Ribeiro alerta o empresário que pensa em investir no negócio. Para ele, o segmento de lavanderia é para poucos. “Com a carência de empregadas domésticas, o que é uma tendência daqui para a frente, esse setor tende a crescer. Mas o investimento em um novo negócio é alto, principalmente em virtude dos equipamentos, que são importados e caros”, alerta.

De fato, o investimento total em uma loja da Lavasecco é de aproximadamente R$ 400 mil. “Ao franqueado, digo que é importante ter dinheiro para começar e, depois, muita paciência para trabalhar. Aqui, o empresário precisa ficar no balcão e olhar nos olhos dos clientes”, afirma Maria Alzira.

Tudo o que sabemos sobre:
FranquiaFranquiasEconomiaEmpresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.