Reprodução/FastCompany
Reprodução/FastCompany

Empresa lança lençóis que prometem melhorar a qualidade do sono

Produto regula a temperatura do corpo com a do ambiente

Estadão PME,

03 de fevereiro de 2015 | 07h05

Um estudo da National Sleep Foundation revelou, em dezembro de 2014, que o tempo médio de sono dos norte-americanos é de 7 horas e 36 minutos por noite. Entre os entrevistados, 45% considera sua qualidade do sono pobre ou insuficiente ao menos uma vez por semana. De forma tradicional, existem inúmeras táticas de melhorar o sono, como deixar o quartocompletamente escuro, dormir e acordar na mesma hora todos os dias etomar remédios indicados.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Agora, a empresa 37.5, cuja receita de vendas é estimada entre US$ 5 e US$ 6 milhões em 2015, promete uma nova alternativa para melhorar a qualidade do sono e quer revolucionar o mercado de roupas de cama. Trata-se de um conjunto de lençóis e fronhas capazes de regular a temperatura do corpo em relação ao ambiente, deixando assim o usuário mais confortável e relaxado.

O cientista Gregory Haggquist, um os idealizadores do projeto, explica o conceito do produto para o portal FastCompany: "A maioria das fábricas é passiva, não leva em conta o que o corpo quer".

O material contém partículas de minerais naturais incorporadas ao tecido por um método patenteado, ultrassecreto. Enquanto outros tecidos absorvem o suor durante o sono, o modelo da 37. 5 transforma o excesso de calor e umidade em um vapor. O tecido seca rapidamente, ajudando a regular a temperatura do corpo. Se o usuário está tremendo de frio, a ação é oposta, explorando o calor para trazer o corpo para uma temperatura normal.

De acordo com a marca, usar o sistema completo com lençóis, capas de colchão, fronhas, edredom e outras peças eleva a qualidade do sono e devolve todos os benefícios de um bom descanso: desde pensar de forma mais clara até acordar de bom humor. O preço sugerido dos produtos pode variar entre US$ 50 e US$ 250. 

Tudo o que sabemos sobre:
Sonoinsônialençol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.