José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Empresa investe em redes sociais para torcedores de futebol

No Brasil, corintianos foram os primeiros a ganhar espaço para discussões

Gisele Tamamar, Estadão PME,

11 de novembro de 2014 | 11h36

As redes sociais voltadas para torcedores de futebol é a aposta na empresa brasileira Maciv Tecnologias. O primeiro time a ganhar um espaço para discussões foi o Benfica, de Portugal, há uma semana. Nesta terça-feira, foi a vez dos corintianos com o site AreaCorinthians. A previsão é de que o site para os são-paulinos entre no ar ainda hoje também.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

De acordo com o CEO da Maciv, Miguel Sousa, a ideia das redes sociais para torcedores surgiu quando ele estava conversando com um grupo de amigos sobre futebol quando começou um jogo. Ele percebeu quem as pessoas que não torciam para o time em campo ou que não gostavam do esporte não davam suas opiniões. Por isso, ele resolveu investir em um espaço para as pessoas expressarem seus sentimentos com torcedores do mesmo time seguindo uma tendência de micro redes focadas em temas.

Outros times também devem ganhar suas próprias "áreas". Os sites para os torcedores do Barcelona e Real Madrid devem entrar no ar na segunda meta de do mês. Em dezembro é a vez dos quatro maiores times do futebol inglês.O resultado será uma grande redes de "áreas". Por enquanto, a empresa ainda não lucra com a ferramenta. "Ainda estamos na fase de projeto. A primeira coisa que devemos nos preocupar é com a receptividade", diz Sousa, que é português e é um dos fundadores da empresa no Brasil.

Caso a aposta dê certo, o método de monetização deve ser por meio de publicidade e o acesso deve permanecer sempre gratuito para os torcedores. O projeto não envolve parceria com os clubes, sendo voltada para os torcedores. "É um espaço para os torcedores expressarem seus sentimentos sem supervisão do clube", explica.

Atualmente, a principal atividade da empresa está ligada ao serviço móvel. No início, as mensagens de texto para marketing eram o destaque. Hoje, a empresa também trabalha com uma espécie de flyer móvel. Ou seja, o usuário recebe uma mensagem e ao clicar no link tem acesso à publicidade. Para 2014, a previsão da Maciv é faturar R$ 2,5 milhões. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.