Empresa inicia jornada às 09h06 para disciplinar funcionários

Empresa inicia jornada às 09h06 para disciplinar funcionários

Uma vez iniciado o dia, funcionários não saem da mesa nem para tomar café, medida vale para todos os 20 escritórios globais da Pivotal, que trabalha com programação de aplicativos e computadores

Estadão PME

25 de novembro de 2016 | 05h00

A busca pela maior eficiência dos funcionários elevou o patamar de exigência na empresa norte-americana de programação Pivotal Software. A rotina de trabalho dos empregados envolve começar a trabalhar exatamente às 09h06 todas as manhãs.

Quando os relógios de todos os 20 escritórios da empresa espalhados pelo mundo marcam esse horário, um sino toca na empresa e todos os colaboradores são chamados para uma breve reunião motivacional, que dura entre cinco e dez minutos. Após esse encontro, todos vão para suas mesas, onde nenhum outro movimento deve distraí-los até o fim do dia.

Para o fundador e CEO da Pivotal Robert Mee, a ideia é deixar a rotina de trabalho o mais produtiva possível. "Eu percebi que os programadores, se deixados livres, podiam levar até as 10h para começar a trabalhar", comenta. 

E há mais um detalhe apontado por Mee. Caso os programadores não comecem o dia bem alimentados, tendem a começar a dispersar por volta das 11h, o que para ele tampouco é produtivo. "Então, pensamos em providenciar café da manhã gratuito para todos. Isso dá a eles uma razão para estar aqui", conclui o empresário.

Mas, afinal, qual é a razão das 09h06? É ainda mais aleatório do que parece. "Pensamos em começar às 09h, mas o horário fechado dá mais margem para atrasos", explica Mee.

No fim do dia, que deve correr sem grandes interrupções, outro sino toca. Às 18h em ponto, os funcionários devem deixar seus postos de trabalho.

"Programadores não programam bem se estão cansados", conclui o empresário. "Então, os queremos trabalhando até tarde."  

Com clientes como BMW, Mercedes-Benz, Lockheed Martin, NBC, Bloomberg, Orange, eBay, South West Airlines, e Twitter, a Pivotal é avaliada em US$ 2,8 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
BMWLockheedBloombergTwitter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.