Reprodução
Reprodução

Empresa holandesa lança o primeiro cigarro eletrônico de maconha

Produto, que não tem THC, acende uma folha de Canabbis quando tragado e já está à venda na Europa

Estadão PME,

23 de junho de 2014 | 06h46

Uma pequena empresa holandesa lançou o primeiro cigarro de maconha eletrônico que se tem notícia. O produto, inspirado na popularização da versão tradicional, para quem busca largar o vício da nicotina, já é vendido na Europa, onde faz sucesso e não encontra impedimentos legais.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Isso se deve, fundamentalmente, porque o produto não contém THC, o princípio ativo da planta Canabbis sativa. Com o formato de um cigarro tradicional, a cada tragada ele se ilumina, ressaltando o desenho de uma folha de maconha.

Em entrevista ao jornal italiano Corriere Della Sera, o fundador da e-njoint, empresa responsável pelo produto, afirma que a produção diária já é de 10 mil cigarros eletrônicos e, mesmo assim, "vende com a velocidade da luz".

Atualmente, quem compra o Pipe-Mail, o nome dado ao produto, pode escolher entre seis sabores frutados. No entanto, uma segunda versão do produto já está sendo preparada e, nesse caso, os clientes terão a oportunidade de preencher o vaporizador do cigarro com um concentrado líquido de Canabbis.

Vale ressaltar que a venda da maconha hoje é permitida, de maneira contralada e em lugares especificamente designados, na Holanda, onde atua a startup e-njoint. Alguns estados norte-americanos também regularizaram o consumo da droga para efeitos terapêuticos. Esse mercado em potencial, sem dúvida é de interesse da startup, que faz planos para a internacionalização de seu produto.

Tudo o que sabemos sobre:
Estadão PMEEmpreendedorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.