Divulgação
Divulgação

Empresa faz bolsas que chegam a custar R$ 275 a partir de câmara de ar de pneus

Empresárias vendem as criações na internet, feiras e exposições

ESTADÃO PME,

26 de maio de 2013 | 09h49

As câmaras de ar de pneus velhos ganharam uma finalidade criativa nas mãos das sócias Sandra Martins e Adriana Santos. Em busca de um material sustentável para suas criações, Sandra se deparou com as câmaras de ar e resolveu aproveitar o material para fazer as bolsas e cintos da empresa Santi Martin, de Campinas.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Mas além do apelo sustentável, a preocupação das empresárias também inclui o design das peças. Um dos modelos mais vendidos tem spikes, um espécie de prego que virou moda em roupas e calçados. "Por mais que a câmara de ar seja um material sustentável, temos que ter produtos com um apelo moderno. Usamos spikes e forros coloridos", conta a designer Sandra.

A dupla resolveu abrir a empresa em maio de 2012 e deu início ao processo de produção das peças. "Precisamos de um tempo para entender a limpeza do material, como fazer o corte e a costura. É um processo todo manual", diz Sandra. A primeira remessa de bolsas e cintos foi vendida para amigos.

Já a segunda remessa, de 70 bolsas, começou a ser vendida em março no site da empresa, em feiras e exposições. Para fazer as peças, Sandra e Adriana buscam as câmaras em aterros, em borracharias e de empresas que comercializam o material. As bolsas custam entre R$ 120 a R$ 275. O plano da empresa é aumentar a produção, mas ainda não há previsão de quando isso vai ocorrer. "Por ser um processo manual, ainda estamos planejando como vamos crescer", diz Sandra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.