Divulgação
Divulgação

Empresa desenvolve tecnologia para carregar loja contêiner em quatro minutos

Grupo VIC acredita que aprovação do projeto para regulamentar comida de rua na capital impulsionará negócio

ESTADÃO PME,

17 de setembro de 2013 | 18h43

A aprovação do projeto de lei para regulamentar a venda de comida de rua na cidade de São Paulo deixou o empresário Davi Moreno animado. Ele é diretor do Grupo VIC que vai lançar esta semana uma tecnologia capaz de movimentar um baú de caminhão do chão ao chassi em quatro minutos. A carga e descarga é controlada por um controle remoto. Com o sistema, o lojista pode levar o baú transformado em loja para praças, estacionamentos, praia e shows com facilidade e rapidez.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A tecnologia chamada de "Stop and Go" será lançada na Vuc Expo, feira de veículos urbanos de carga, que começa nesta terça-feira, 17, em São Paulo. Para o sistema funcionar, o operador precisa posicionar os cilindros para fora do contêiner e destravar os engates. Depois, ele precisa acionar os cilindros hidráulicos via controle remoto para levantar o contêiner, o caminhão pode se afastar e o operador pode acionar o controle novamente para abaixar o baú.

De acordo com Moreno, a tecnologia tem duas vertentes. A primeira é a unidade móvel, que possibilita o transporte de uma loja, restaurante ou consultório para qualquer ponto rapidamente. Ao descarregar o baú, o caminhão está liberado para outras tarefas e não precisa ficar parado com a unidade.

Atualmente, a empresa trabalha em projeto para fazer uma temakeria móvel, em parceria com a empresa Athos, de Bauru, que cuida da unidade móvel. "Quando saiu a aprovação do projeto de lei de comida de rua em São Paulo fizemos uma festa. Isso abre novas possibilidades", afirma Moreno. No ano passado, a empresa faturou R$ 4 milhões e espera dobrar este número em 2014. O preço da estrutura, com revestimento, parte hidráulica e elétrica é a partir de R$ 75 mil.

A segunda vertente está relacionada à logística. "Descarregar e carregar um caminhão acaba saindo muito caro com a movimentação dentro do centro de distribuição. E com o stop and go você consegue fracionar a carga", explica Moreno.

História. Moreno trabalhava na empresa da família, que sempre fabricou macacos hidráulicos. Com a concorrência chinesa e o comportamento do câmbio, um produto que a empresa vendia por R$ 50 começou a chegar no mercado brasileiro por R$ 22. "Há dez anos, existiam sete, oito fábricas de macacos hidráulicos. Hoje, temos basicamente importadoras e uma fábrica com foco em montadora", disse o diretor.

A solução foi encerrar o negócio e pensar em soluções inovadoras para o mercado. O Grupo VIC nasceu em 2011 com o objetivo de atender uma demanda tecnológica de um projeto do Ministério da Educação, que precisava de um produto capaz de montar e desmontar escolas técnicas, consultórios oftalmológicos e odontológicos com rapidez.

A tecnologia evolui e eles chegaram ao conceito do Stop and Go. "Muitas vezes, o investimento no ponto e o investimento fixo acabam inviabilizando o começo de um negócio. Ao trabalhar com uma unidade móvel, ele amplia as opções de instalação", afirmou Moreno.

:: Confira um vídeo sobre a tecnologia ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.