Reprodução
Reprodução

Empresa cria "academia virtual" e busca adesão de profissionais para conseguir faturar

Plataforma permite que o instrutor monte a grade de exercícios e monitore o desempenho dos alunos em tempo real

Fernando Ladeira, especial para o Estadão de S.Paulo,

10 de julho de 2013 | 15h29

As lojas de aplicativos para smartphones contam com muitos produtos para auxiliar a atividade física, mas esse ainda parece um mercado pouco explorado entre as academias e os personal trainers. Vendo uma brecha nessa área, a startup paulistana 2FIT vai lançar, nos próximos dias, um produto na tentativa de estreitar as relações entre profissionais e clientes.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

“O aplicativo 2FIT simplifica o contato entre aluno e professor, mantendo esta conexão independente da distância entre eles, podendo trocar treinos, mensagens, acessar e editar detalhes de cada exercício e acompanhar a evolução do treinamento enquanto o sistema arquiva toda atividade física realizada”, diz a empresa, em nota.

A ideia começou a surgir no final de 2012 e foi motivada justamente por uma necessidade pessoal. Daniel Maraccini, CEO e cofundador da empresa, revela que, principalmente quando o instrutor não estava por perto, sentia falta de um profissional que acompanhasse o seu treino.

A plataforma será lançada para o sistema iOS, da Apple, em 15 de julho, enquanto para o Android, do Google, o software ainda está sendo desenvolvido.

A 2FIT já possui contrato assinado com uma academia, a Up For You, e dois personal trainers, mas Maraccini prevê um rápido crescimento. Em um ano, a estimativa é que o aplicativo esteja presente em pelo menos 70 academias e que seja usado por 300 personal trainers.

Esse crescimento pode impressionar à primeira vista, mas Maraccini diz que o potencial de clientes é muito maior. Segundo o último relatório da International Health, Racquet & Sportsclub Association (IHRSA Latin America),de setembro do ano passado, há 24 mil academias no Brasil, o que se soma a 290 mil pessoas cadastradas no Conselho Federal de Educação Física (Confef). Um dos grandes atrativos da ideia, conta o CEO, é a simplicidade do sistema, que pode ser instalado nas academias em menos de um dia.

O download do produto é gratuito, mas a empresa cobrará uma taxa mensal de R$ 2,00 a R$ 4,00 de academias e personal trainers para disponibilizar todas as funcionalidades de comunicação. Quem pratica exercícios por conta própria poderá usar o 2FIT para montar sua própria grade e monitorar seus treinos sem custo. Além de auxiliar na atividade física, o aplicativo também mostrará uma lista com informações de academias e profissionais.

A empresa, resultado de uma parceria entre os empresários Daniel Maraccini  Tiago Maia, André Zacharias e Fabio Costa, também está em busca de investidores dispostos a apostar em negócios ainda pequenos. Até o momento, o empresário conta que só foram empregados recursos próprios.

Enquanto a academia e o treinador conseguem se diferenciar dos concorrentes e reter mais alunos, o usuário final se beneficia pelo engajamento na atividade física, diz Maraccini  “É uma ferramenta que estará 24 horas por dia conectada ao treinador e à academia”, afirma.

Confira no vídeo abaixo mais detalhes sobre o aplicativo:

Tudo o que sabemos sobre:
AcademiaAplicativoPMEEmpreendedorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.