Reprodução Site
Reprodução Site

Empresa brasileira se especializa em criar estampas de camisetas inspiradas em músicas

Ilustradores ouvem uma música e criam estampa para camiseta. Quem compra a peça pode levar CD com som de inspiração

GISELE TAMAMAR, ESTADÃO PME,

06 de setembro de 2012 | 12h50

Ao unir as letras iniciais das palavras música e roupa, a marca Muro quer fortalecer um conceito artístico. A proposta central é convidar ilustradores para ouvirem uma música e se inspirarem na criação de estampas de camisetas. Quem comprar a peça pode optar em levar junto um CD com a música inspiradora. A marca, criada há dois anos, comercializa cerca de 7 mil peças, entre camisetas e bonés, por mês.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

As duas palavras que levam ao nome da marca foram escolhidas porque são meios pelos quais uma pessoa pode expressar seus pensamentos, fazer reivindicações e fortalecer a identidade cultural. Um dos sócios da marca é Rodrigo Vieira, conhecido como MC Marechal. "A roupa é uma extensão da música. O seu jeito de vestir transmite muito sobre o que você quer dizer. O plano é que a Muro se torne um selo de qualidade para dar suporte aos artistas", afirma.

MC Marechal idealizou o conceito da Muro. O outro sócio, Fabio Pereira, cuida da gestão da empresa. Os planos incluem o lançamento em outubro de uma coletânea com 20 músicas para acompanhar as peças vendidas. Entre os artistas parceiros estão: Funk Como Le Gusta, Projota, Rashid, Samba do Monte e Versu2. "É uma forma do artista divulgar seu trabalho, mas não queríamos aquelas camisetas tradicionais de banda. Nos preocupamos com a ilustração e com a qualidade do produto", relata Pereira.

"A mensagem é para as pessoas se preocuparem em fazer sua arte da melhor forma. É importante sempre trabalhar ideias e conteúdos para manter o nível de criatividade. É isso que move o mundo", diz MC Marechal. As peças são vendidas na loja virtual da Muro e por revendedores. Os preços das camisetas variam de R$ 30 a R$ 50. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.