Reprodução/site
Reprodução/site

Empreendimento australiano promete ressuscitar a fita cassete (ou pelo menos um de seus usos)

Negócio usa simbolismo de um dos produtos mais marcantes da indústria musical

ESTADÃO PME,

02 de março de 2013 | 09h50

 A fita cassete, acredite você ou não, já fez bastante sucesso. Pessoas perdiam (ganhavam?) horas e mais horas de suas vidas gravando fitas para amigos, conhecidos, amores...correspondidos ou não. Pensando nisso, um empreendimento na Austrália resolveu resgatar uma parte da finalidade das fitinhas de plástico.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A proposta da Share Tapes é a seguinte. O usuário entra no site da empresa e compra cinco cartões. Eles custam 6,99 dólares australianos - cerca de R$ 15. Esses cartões são, é claro, uma imitação de uma fita cassete. Após fazer a compra, o cliente pode usar sua plataforma favorita - Spotify ou Youtube - para criar uma lista de música personalizada.

O usuário salva esses cartões e pode compartilhar o conteúdo deles por meio do smartphones - via tecnologia QR Code - ou pelo site do empreendimento. De acordo com os fabricantes, o cartão também pode ser usado para bandas iniciantes gravarem 'fitas demo' e até para designers armazenarem seus trabalhos.

Tudo o que sabemos sobre:
inovarinovaçãotecnologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.