Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Rodrigo da Rocha Loures participou do Encontro PME
Rodrigo da Rocha Loures participou do Encontro PME

Empreender é diferente de administrar, diz sócio-fundador da Nutrimental

Sócio da Nutrimental, Rodrigo Loures defende muita transparência e a busca, a todo custo, da inovação

Gisele Tamamar, Estadão PME,

28 de outubro de 2015 | 07h05

A Nutrimental estreou no mercado com alimentos desidratados e pré-cozidos, mas tornou-se conhecida mesmo com as barrinhas de cereal Nutry. Elas ajudaram a empresa não só a ganhar relevância, como também a sobreviver no mercado quando houve a mudança de foco. “Empreender é muito diferente de administrar negócios”, disse Rodrigo da Rocha Loures, sócio-fundador da empresa.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

Hoje, a Nutry é líder de mercado e faturou R$ 400 milhões no ano passado. Mas para chegar a esse patamar o negócio investe no lançamento de novos produtos. “Somos pioneiros, mas não tem como evitar a entrada dos concorrentes. Nossa estratégia principal é se ocupar da qualidade”, afirmou Loures, que hoje participa do conselho da companhia. A estratégia e a filosofia da empresa foram discutidas durante o Encontro PME com pequenos empreendedores e interessados no tema. Confira a seguir quais foram os principais trechos do debate entre os participantes.

História

A Nutrimental iniciou as atividades com a produção de feijão pré-cozido desidratado para fornecê-lo como merenda escolar e até fabricou proteína texturizada de soja. A primeira barra de cereal, lançada em 1992, recebeu o nome de Chonk e foi rebatizada dois anos depois como Nutry, nome que ficou conhecida e ganhou representatividade no mercado nacional.

“É uma competição cada vez mais acirrada. Temos é que criar novas linhas, soluções e ficar atentos, mas sem perder mão da rentabilidade. Temos muitos concorrentes, 20%, 30% mais baratos, mas apesar da intensificação, a gente está mantendo a nossa posição”, disse.

O empresário pontuou ainda que a barrinha Nutry está em uma situação de maturidade e ele vê muitas marcas nascerem e morrerem. Por isso, apesar do sucesso, a empresa não se acomodou – um dos planos é promover um programa para se aproximar de startups, tendência já seguida por grandes empresas. “Perdemos se não nos reinventarmos. Não podemos ficar pendurados na barra de cereais”, destacou.

 

Momento difícil

Na opinião de Loures, competência e gestão financeira devem estar presentes na empresa, independentemente do porte do negócio e do momento da economia. “Não é só uma educação teórica, é preciso praticar e ser comum a todos da empresa”, afirmou. Para Loures, o empreendedorismo é o único caminho para superar o momento difícil pelo qual o País passa. Ele acredita, aliás, que empreender é o resultado de uma combinação de fatores: ideia, visão, oportunidade, identificar uma nova tecnologia ou nova maneira de fazer alguma coisa.

“A motivação do empreendedor é a realização. O capital também entra na equação, mas não é o principal”, disse. Para ele, a palavra ‘empreender’ significa “vontade de fazer, inteligência, capacidade de liderança, de aglutinar outras pessoas que o ajudam no projeto, de conquistar a confiança dos fornecedores, dos apoiadores, dos consumidores”. “Dá para traduzir tudo isso no desenvolvimento de relações com outras pessoas de maneira inteligente.”

Pessoas

O empresário comparou a equipe de funcionários ideal com uma escola de samba. “Um grupo de pessoas que está no mesmo ritmo, em harmonia e colaborando com entusiasmo e engajamento”, afirmou. A empresa passou por uma reorganização em 1997 e, desde então, a Nutrimental é baseada na equipe de funcionários. “Temos um sistema onde todos têm acesso aos dados de contabilidade.” Loures, inclusive, defende uma postura mais interativa do que proativa na companhia.

:: Companhia busca ser diferente ::

A empresa é conhecida pela barra de cereais, mas hoje investe em novos produtos e planeja até um programa de parcerias com startups

Início

O primeiro foco de atuação da empresa foi a produção de alimentos desidratados para merenda, hospitais e restaurantes industriais.

Praticidade

A empresa desenvolveu uma alimentação com base em ingredientes desidratados para as travessias do navegador Amir Klink.

Inspiração

O projeto do navegador serviu de inspiração para a barra de cereais Chonk, criada em 1992; depois, ela seria rebatizada como Nutry.

:: Barra de cereais ganha variações na gôndola do supermercado ::

Nos últimos aos, a barra de cereal sempre registrou crescimento. Mas em 2014, ela já mostrou sinais de estagnação e, pela primeira vez, apresentou queda em volume. De acordo com a Nielsen, a categoria caiu 12% na comparação dos últimos dados disponíveis.

Segundo a gerente de atendimento da Nielsen, Caroline Borba da Silva, o declínio pode ser explicado pela entrada de novas variações de barra, como a de frutas, de amendoim, castanha e até de proteína. No entanto, a Nielsen afirma que ainda não tem uma leitura oficial para identificar o avanço desses outros segmentos.

Caroline explica que as barras estão inseridas dentro do contexto de produtos saudáveis. Um estudo global da Nielsen aponta que 38% das pessoas se preocupam com o assunto e afirmam que a questão da ‘saudabilidade’ tem alto impacto na decisão de compra, mesmo quando o consumidor sabe que o produto é a opção mais cara.

“A categoria era pequena, veio crescendo nos últimos anos, inclusive com a entrada de novos ‘players’, e ganhou importância. A queda de volume está muito relacionada a um trabalho de novos tipos de barras”, afirma Caroline.

Tudo o que sabemos sobre:
encontro pmenutry

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.