Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Empreendedores criam delivery de bebidas inspirado em super-heróis

Disque Gelada ganha fama com conveniência e entregadores vestidos de super-heróis

Ligia Aguilhar - Estadão PME,

04 de maio de 2012 | 07h40

Imagine a seguinte cena: você está em uma festa e no meio da noite a cerveja acaba. Para resolver o problema sem sair de casa, você liga para um serviço de delivery e solicita a bebida. Em alguns minutos, o pedido chega na sua casa, mas no lugar de um motoboy comum, você encontra um sujeito vestido com um macacão amarelo e uma capa vermelha, que antes de deixar a encomenda faz pose de super-herói e anuncia: “Vim salvar a sua festa."

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

A cena inusitada se tornou o grande chamariz de um pequeno negócio que já apresenta bons resultados. Criado há cerca de nove meses, o Disque Gelada entrega bebidas e petiscos em domicílio. A ideia surgiu da necessidade dos próprios sócios durante uma noite de pôquer. “A cerveja acabou na madrugada e ninguém podia sair para comprar por causa de Lei Seca. Foi então que pensamos como seria legal ter algum serviço que entregasse a bebida para a gente”, conta Adriano Lima, de 33 anos, que fundou a empresa junto com a esposa, Denise Galvão Lima, 34, e o amigo Felipe Cabral, 21.

Após estudar o mercado e descobrir que já existiam serviços semelhantes, os empreendedores decidiram criar um diferencial competitivo para o negócio. Fã de histórias em quadrinhos, Adriano logo imaginou um super-herói chegando a uma festa para salvar a noite. A ideia ganhou força quando ele e a esposa lembraram de um serviço de delivery de pizza que haviam experimentado nos Estados Unidos, no qual a entrega era realizada por uma pessoa fantasiada de italiano. Nascia, assim, o conceito de vestir os entregadores como super-heróis. Ou melhor, ‘Breja boy’ e ‘Breja girl’, como o empreendedor faz questão de salientar.

Embora reconheça não ser fácil encontrar entregadores dispostos a usar o curioso uniforme, Lima diz que o resultado da iniciativa foi um sucesso. A média de ‘salvamentos’ da empresa aumentou de 20 para 190 por semana, o que fez com que o negócio deixasse de ocupar um pequeno espaço na sala da casa do empreendedor, no Ipiranga, na zona sul, para ganhar um escritório e um centro de distribuição na Vila Mariana.

Além dos três empresários, outros três entregadores também trabalham fantasiados e executam uma pequena performance ao chegar na casa do cliente. Com as mãos na cintura, dizem frases de efeito, como "se beber, não dirija. Ligue para a gente que a gente te salva."

Para reforçar a estratégia, os empreendedores criaram ainda uma promoção na qual os clientes que postarem uma foto com o ‘Breja boy’ ou a ‘Breja girl’ na página da empresa no Facebook, ganham desconto de 5% na próxima compra. “Nosso primeiro pedido veio por direct message no Twitter. As redes sociais sempre foram nosso grande chamariz, por isso nós investimos em ações na rede para atrair cada vez mais clientes”, explica o empresário.

Variedade. Outra aposta dos empreendedores foi na diversificação do cardápio. Além de bebidas, eles também incorporaram petiscos às opções. Com o tempo, porém, agregaram produtos dos mais variados tipos, o que inclui bafômetros, chá de boldo e até pó de café. “Percebemos que mais do que um delivery de bebida e de comida, poderíamos ser também ser um delivery de conveniência”, explica Adriano.

O plano dos empreendedores agora é expandir a área de entrega, limitada a alguns bairros das zonas sul e oeste, por meio de novas parcerias com outros empresários que queiram replicar o modelo em outras regiões. Dessa forma, eles esperam também flexibilizar suas escalas de trabalho. Como todo empreendedor iniciante, eles conciliam o negócio com outras atividades e participam de todas as etapas do negócio, do atendimento às entregas, que avançam pela madrugada. Uma rotina puxada. Digna de verdadeiros super-heróis.

Tudo o que sabemos sobre:
Disque Geladadeliverybebidascerveja

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.