Mônica Bento/AE
Mônica Bento/AE

Empreendedor que quiser microcrédito da Prefeitura vai precisar fazer curso de capacitação

Objetivo da medida é reduzir a mortalidade e a inadimplência das empresas

Ligia Aguilhar - Estadão PME,

29 de fevereiro de 2012 | 18h40

Os interessados em obter microcrédito do banco da Prefeitura de São Paulo, o São Paulo Confia, agora precisam passar por 12 horas de um curso de capacitação. A medida, em vigor desde janeiro, vale tanto para novos microempreendedores quanto para aqueles que quiserem renovar o crédito. O objetivo da Prefeitura é reduzir a mortalidade, a inadimplência dos negócios, estimular a formalização das pequenas empresas e ajudar os empreendedores a ter melhor controle do seu dinheiro. As aulas abordam temas como os cuidados com o caixa, com as contas a pagar e a receber, a prática desse fluxo de caixa, noções sobre técnicas de compras e vendas e a legislação do MEI-Microempreendedor Individual.

"Nós emprestamos dinheiro também para pessoas com restrição no nome, então nosso risco de inadimplência é muito grande. Nossa preocupação é reduzir esse risco, evitar que esse dinheiro vá para o ralo e reduzir a mortalidade das empresas", diz o presidente do Conselho de Administração do São Paulo Confia, Hugo Duarte.

O curso é gratuito e está dividido em quatro módulos de três horas cada um, totalizando 12 horas distribuídas ao longo de quatro dias. Para se inscrever, o interessado deve se cadastrar em uma das 24 unidades do São Paulo Confia (endereços no site www.saopauloconfia.org.br). As aulas acontecem nos períodos da manhã (das 9h às 12h) e da tarde (das 14h às 17h) e os alunos recebem ao final um certificado da Academia de Microfinanças do São Paulo Confia e um kit do Sebrae.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

Os instrutores são agentes de crédito treinados para ministrar os cursos. Segundo Duarte, além dos postos da São Paulo Confia,  foram instaladas salas de aula também em subprefeituras e fechados convênios com escolas para ampliar a oferta de vagas de acordo com a necessidade e evitar que a medida aumente o tempo de espera pelo crédito. Até agora, 544 microempreendedores realizaram o curso. A meta é chegar a 6 mil até o fim do ano.

Atualmente, a taxa média de inadimplência do São Paulo Confia, que possui 9,6 mil clientes, é de 2,60%. No ano passado foram concedidos R$ 53 milhões em crédito pela instituição. Com o curso, a meta é reduzir esse índice para menos de 1% até maio,e a taxa de mortalidade das empresas dos clientes do banco dos atuais 20% para 5%.

Legislação. A iniciativa foi amparada na Lei nº 11.110, sobre o Programa Nacional do Microcrédito Produtivo e Orientado, que estabelece que os agentes de crédito forneçam orientação sobre o assunto. "Percebemos que sem uma orientação básica sobre a gestão de um negócio as chances de sucesso das empresas diminuiam", afirma Duarte.

No segundo semestre, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, quer ainda lançar um segundo módulo mais avançado, com disciplinas segmentadas em diferentes ramos, como beleza, alimentação e serviços , voltado para os clientes que quiserem renovar o microcrédito.  

Tem direito ao microcrédito todo cidadão a partir de 18 anos, dos mais diversos ramos de atividades, que possua empresa ativa ou procure o dinheiro justamente para abrir seu próprio negócio.

Os valores do crédito vão de R$ 3 mil a R$ 15 mil e a taxa de juros utilizada é de 3,9% ao mês.O pagamento das parcelas pode ser realizado semanalmente ou quinzenalmente, com prazo de 8 a 38 semanas, ou de 11 a 24 quinzenas ou em até 12 parcelas mensais. Para solicitar o crédito e obter mais informações o interessado deve ir a um dos postos da São Paulo Confia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.