Hélvio Romero
Hélvio Romero

Empreendedor lança aplicativo que permite encontrar táxi mais próximo pelo telefone

Criador do Taximov pretende instalar sistema em todas as cidades brasileiras que terão jogos da Copa do Mundo até 2014

Estadão PME,

20 de maio de 2012 | 11h00

Procurar um táxi em uma cidade grande como São Paulo nem sempre é uma tarefa fácil.  Além de o serviço ser cada vez mais disputado nem sempre em uma situação emergencial se encontra  um taxista que aceite cartões de crédito ou  tenha um carro com bagageiro grande o suficiente, por exemplo.

Foi depois de enfrentar situações como essa que o empresário Nathan de Vasconcelos Ribeiro teve a ideia de criar com seus três sócios na empresa batizada de e-flows o Taximov, um sistema de solicitação de táxi que funciona não só por telefone, mas também pela internet. O serviço permite que o usuário solicite um táxi por meio do site da empresa ou por um aplicativo instalado no smartphone.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

Após informar os dados pessoais, endereço de partida e as características desejadas, como um veículo com motorista que fale inglês ou com ar condicionado, o sistema localiza o automóvel livre mais próximo e que melhor atenda aos requisitos desejados. “Consideramos esse um mercado interessante para atuar, porque percebemos que uma metrópole grande como São Paulo demanda soluções que aumentem o conforto e ajudem a resolver o problema da mobilidade”, diz Ribeiro.

O empresário diz que seu serviço apresenta outras vantagens, como aumentar a segurança do motorista e do passageiro, já que ambos recebem os dados pessoais um do outro, e um sistema de pagamentos pré-pago que permite que o passageiro adquira um voucher pela internet com um valor predeterminado que pode ser usado como crédito para pagamento de uma corrida.

Se o valor da corrida superar o negociado, a diferença deve ser paga diretamente pelo passageiro ao motorista. “Paralelamente a isso, o taxista instala um aplicativo no celular com GPS que rastreia o táxi. Quando um usuário solicita um veículo, o sistema faz um rastreamento por computador em um raio de 7 quilômetros para identificar os táxis livres”, explica.

Em funcionamento desde julho do ano passado, o Taximov atende passageiros na região metropolitana e no litoral de São Paulo e contabiliza 1, 7 mil passageiros e 220 taxistas cadastrados.  A meta é dobrar esse número nos próximos meses. “Quero estar em todas as cidades da Copa até 2014”, afirma.

Para aderir ao serviço, o taxista paga um taxa simbólica de licenciamento de R$ 1,00 e  R$ 3,00 por corrida paga diretamente a ele ou 10% do valor em agendamentos ou pagamentos com voucher. Além disso, precisa ter um smartphone com sistema operacional Simbion para instalar a versão para motoristas do Taximov. Até o fim do semestre, a empresa deve lançar também uma versão para o sistema Android. “Quero ser uma boa alternativa principalmente para  o taxista independente, que não tem um ponto de táxi fixo e precisa ficar rodando pela cidade”, afirma Ribeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Taximovaplicativotáxismartphone

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.