PAULO LIEBERT/AE
PAULO LIEBERT/AE

Empreendedor de 31 anos é o responsável pela trilha sonora de grandes empresas em 13 países

Ele ficou incomodado com som ambiente em lojas de roupas e decidiu cuidar da programação musical delas

Renato Jakitas, Estadão PME,

01 de junho de 2012 | 12h50

O paulista Alexandre Casanova sempre gostou de música, montou e desmontou bandas na juventude, mas jamais considerou ganhar dinheiro com o que era para ele apenas um hobby. Até o dia em que entrou em uma loja e se sentiu perturbado com o som ambiente do lugar. Percebendo em seu desconforto um nicho de mercado, investiu o que tinha para montar a ListenX, empresa que cuida da programação musical de lojas, academias e restaurantes.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Nove anos depois, ele tem no currículo mais de 400 marcas atendidas. São empresas como Shopping Villa Lobos, as academias Runner, Competition e Bio Ritmo, além de lojas como Hering, Hope e TNG.

“Eu percebi que dentro das lojas os vendedores colocavam qualquer CD e deixavam lá, tocando sem parar. Foi quando decidi montar uma empresa para suprir essa necessidade, cuidar da programação desses locais, com base no perfil de seus clientes”, conta Alexandre Casanova, que aos 31 anos toca sozinho a empresa com 45 funcionários.

Casanova conta que mantem uma equipe focada na definição das programações musicais. Nesse processo, os profissionais levam em consideração o perfil da empresa, as estratégias de seu departamento de marketing e o mercado musical atual. "A gente monta uma grande de programação e cuida de sua renovação com base em nossos sistemas”, conta o empresário, que também cuida da burocracia que envolve os direitos de reprodução das músicas em ambientes comerciais. “Já estamos em todo o Brasil e em 12 países do exterior. Esse é um mercado em que acredito muito. O music brand tem ainda muito o que crescer no País”, afirma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.