Reprodução
Reprodução

Em Amsterdã, ar puro gera WiFi livre

Acoplados a árvores, dispositivos semelhantes a casas para pássaros analisam a qualidade do oxigênio e liberam sinal de inernet

Estadão PME

06 de junho de 2016 | 07h00

As árvores holandesas agora são capazes de medir e informar a qualidade do ar em Amsterdã. Dispositivos semelhantes a casas de passarinhos são acoplados em troncos espalhados pelas cidades e, utilizando sensores de dióxido de nitrogênio (NO2), conseguem medir partículas em combustão no ar. Caso a excelência seja constatada, luzes de LED se acendem na casinha, que transmite sinais WiFi gratuitos para uso livre. 

A ideia é da startup holandesa TreeWiFi's. Se as luzes do 'ninho' ficam verdes, o ar está apropriado para a respiração, então a região terá sinal de internet móvel enquanto essa boa qualidade durar. 

Por enquanto, o sistema está concentrado em identificar o dióxido de nitrogênio no ar, substância liberada em sua maior parte pela fumaça de cigarros e escapamentos de automóveis. 

A TreeWiFi planeja estabelecer parcerias com prefeituras para conseguir aproveirar os dados quantificados por meio do sistema e, assim, avaliar e analisar a qualidade do ar das cidades em questão. A ideia é conseguir implementar pelo menos um ninho em cada rua de Amsterdã, conforme noticia o portal Springwise.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Amsterdã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.