Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Em 12 meses, faturamento das micro e pequenas empresas cresce 6,1% no Estado de SP

Setor de serviços lidera alta com evolução de 13,5% das receitas; indústria cresce mais do que o comércio

Estadão PME,

16 de janeiro de 2012 | 11h00

O faturamento real das micro e pequenas empresas em 12 meses, encerrados em novembro de 2011, cresceu 6,1% no Estado de São Paulo – perfazendo uma receita total de R$ 30,2 bilhões. O setor de serviços obteve o melhor desempenho no período – alta de 13,5%. A surpresa fica por conta da indústria, cujo faturamento de 5% foi superior ao registrado pelas empresas do comércio (2,3%).

O resultado positivo contrasta com o cenário econômico brasileiro, que começa a sentir os efeitos da crise na Europa e Estados Unidos. Não à toa, a inflação fechou o ano no limite do teto da meta estimulada pelo Banco Central – 6,5%, conforme o IPCA. Além disso, o câmbio esteve valorizado durante 2011.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Mesmo assim, o otimismo dos pequenos empresários parece inabalável. Segundo o levantamento divulgado nesta segunda-feira (dia 16) pelo Sebrae-SP, 81% dos pequenos e microempresários acredita que sua empresa conseguirá manter ou melhorar o faturamento durante o primeiro semestre de 2012.

De acordo com Bruno Caetano, superintendente do Sebrae em São Paulo, as MPEs tendem a acompanhar o ritmo de crescimento da economia do País. “Considerando as características das MPEs, que vendem principalmente para o consumidor, no mercado interno, a evolução da ocupação e da renda na economia deverão influenciar de maneira relevante o desempenho das MPEs em 2012”, afirma Caetano.

De olho na Europa

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), entretanto, divulgou nota no fim da semana passada informando que o agravamento da crise econômica na Europa pode levar a economia brasileira a um ‘círculo vicioso’, onde desaquecimento mais intenso da atividade econômica se propagará com força para o mercado de trabalho, levando à menor expansão da renda; e piora da atividade industrial, já estagnada.

::: LEIA TAMBÉM :::

:: Crise na Europa vai afetar exportações brasileiras ::

:: Para Mantega, ajuste fiscal vai fortalecer o País ::

:: Empresários brasileiros estão prontos para a crise ::

Tudo o que sabemos sobre:
Sebraefaturamentopequena empresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.