Angela foi buscar informações sobre os mecanismos de funcionamento das franquias
Angela foi buscar informações sobre os mecanismos de funcionamento das franquias

Eles também querem empreender

O que motiva a opção pelo franchising? Com a palavra, quem participou do Encontro Estadão PME sobre o setor

Estadão PME,

02 de junho de 2015 | 07h11

Milena Duarte, aos 28 anos, acaba de lançar seu primeiro negócio: uma food bike especializada em doces como brownies e brigadeiros. Por hora, a empreendedora busca conhecer melhor o mercado de franquias para projetar uma expansão futura da sua proposta.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

“As pessoas estão atentas à otimização do tempo de forma saudável, e isso envolve as refeições, por isso meu interesse em empreender na área. E até agora tenho feito isso sozinha, na raça”, relata Milena.

A empresária Angela Valiera esteve no 13º Encontro PME, na última quinta-feira, em busca de debates sobre os mecanismos de funcionamento do sistema de franquias. Para a empreendedora, que trabalha com serviço de treinamento, há muito o que aprender com empresários de redes já consolidadas.

:: Leia também ::

Trio se esforça para enxergar mudanças

O fator mulher em momentos de dificuldade

Modelo compacto e foco na fidelidade da equipe de franqueados

Inovação como saída para vencer

“O Brasil facilita muito o funcionamento de franquias por ser continental; os negócios desenvolvidos aqui assumem uma característica muito nacional”, reflete. “Por que vou atender um número restrito de pessoas se posso expandir meu negócio? Acho isso fantástico!”

O segmento de alimentação, responsável pelo maior impulso no crescimento do setor de franquias, chama a atenção do publicitário Fabio Scarpelli, que busca identificar alguma carência no mercado para começar um negócio inovador. “Tenho a ideia de trabalhar com franquia já há alguns anos e venho colhendo informações para amadurecer um projeto. É um setor que consegue aliar oportunidades com carências do mercado”, reflete.

Apesar do otimismo, um negócio baseado no sistema também pode falhar e o consultor Walter Eduardo Merlo viveu isso na pele ao investir em quiosques de uma rede pouco fortalecida. Superado o prejuízo, ele procura investidores. “Quero ouvir um pouco dos franqueadores, o que eles têm sentido em relação ao empreendedorismo. Estou tateando algumas possibilidades antes de arriscar”, disse antes do evento.

Tudo o que sabemos sobre:
encontro pmefranquiasestadão pme

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.