Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Ela deixou o emprego e começou um negócio durante as férias

Bianca criou uma marca de biquínis para a prática de esportes, como o kitesurf

Estadão PME,

13 de julho de 2014 | 11h00

Em 2009, a italiana Bianca Forzano resolveu deixar o emprego e praticar kitesurf ao redor do mundo. Acabou se encantando com a República Dominicana, onde começou a trabalhar inicialmente para a empresa de um amigo, depois começou a dar aulas de kitesurf, mas logo teve a inspiração para criar sua própria empresa. Bianca percebeu que os biquínis comuns não eram adequados para a prática esportiva e criou novos modelos com a Bianca Bikinis.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Os biquínis feitos a mão são vendidos por cerca de US$ 100 na República Dominicana e na Itália. O plano é expandir as vendas para os Estados Unidos e Israel no próximo ano. Atualmente, Bianca se divide entre Cabarete para projetar e vender os trajes e a Itália, onde produz as peças.

De acordo com o site da Fast Company, a história de Bianca é um lembrete que é possível escapar de um trabalho onde a pessoa não é feliz, mesmo que a fuga não esteja inteiramente planejada. E para ajudar, o site aponta algumas coisas que a empresária fez para se certificar que sua fuga foi um sucesso:

Viajar é uma ótima maneira de descobrir seu plano de fuga

Ao tomar a decisão de deixar o emprego e sair da sua "zona de conforto", Bianca teve contato com diferentes ideias, estilos de vida diferentes e pessoas que faziam de tudo para pagar seus estilos de vida. Ela percebeu que existia um outro mundo lá fora, que não envolvia uma secretária e um chefe.

Empresas que focam em turistas podem ser baratas e fáceis de começar

A empresária percebeu que o negócio de aulas de kitesurf era fácil de começar porque ela já tinha as habilidades para ensinar o esporte. Ela também já tinha amigos e conhecidos da Itália que se tornaram seus primeiros clientes. Depois da publicidade, Bianca até contratou ajudantes para dar as aulas.

Comece pequeno para minimizar os custos

Ao começar com um pequeno negócio, Bianca não arriscou muito dinheiro enquanto ela criou relacionamentos e buscou conhecimento sobre como o negócio funciona na República Dominicana. E mesmo com os biquínis, a empresária começou aos poucos e conseguiu minimizar o custo do fracasso.

Parcerias com outras empresas pode diminuir custos iniciais

Pense em oportunidades para trocar suas habilidades por algo que vai ajudar o negócio a crescer. Bianca, por exemplo, se ofereceu para ensinar ioga para uma escola de surfe local e, em troca, ela teria acesso aos equipamentos de surfe.

Relação familiar

Os pais de Bianca ficaram confusos com a opção da filha de largar um emprego em uma consultoria, mas o sucesso do negócio os convenceu da tomada de decisão. Tanto que a mãe organiza a logística e a irmã é responsável pelo marketing da empresa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.