Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Dor de garganta inspira site de agendamento de consultas

Dr Busca projeta aumentar de mil para 10 mil profissionais cadastrados ainda em 2012

Gisele Tamamar, Estadão PME,

13 de julho de 2012 | 06h30

Foi depois de uma dor de garganta e a dificuldade de marcar uma consulta por telefone que Raphael Barros e Bartolomeu Cavalcanti, ambos de 25 anos, tiveram a ideia de fundar o Dr. Busca, um site para agendar uma consulta médica, finalista da categoria Negócios Inovadores do 1º Prêmio Estadão PME.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Na tentativa de marcar uma visita ao médico, Barros se deparou com uma série de dificuldades. Ele demorou para encontrar os consultórios, um horário disponível e informações sobre os profissionais. “Tinha dor de garganta e também ganhei uma dor de cabeça”, brinca.

Para montar a empresa foram investidos R$ 30 mil. A ajuda para alavancar o negócio veio com a seleção para participar do programa Startup Chile, uma iniciativa do governo para incentivar empresas inovadoras. Foram investidos 40 mil dólares e seis meses de troca de experiências e suporte no Chile.

Com mil médicos de 30 especialidades cadastrados, a dupla está otimista para fechar o ano com 8 a 10 mil profissionais espalhados em quatro cidades. Por enquanto, apenas os moradores de São Paulo e Recife podem utilizar o serviço sem pagar nada. Quem paga para se cadastrar é o médico, que desembolsa uma mensalidade de R$ 199.

Há cinco meses a empresa conta com o suporte do médico Jairo Bouer na equipe, conhecido pelos programas de TV que já participou. “Ele ajuda a passar credibilidade ao negócio, mas também tem a parte estratégica. Toda grande decisão que vai impactar na área médica validamos com ele”, explica Cavalcanti.

Para os fundadores do site, o maior desafio é mudar a cultura das pessoas. “Estamos divulgando o trabalho. A medida que as pessoas conhecem, elas não voltam para o telefone”, afirma Cavalcanti.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.