Dono do Aquário de SP começou em orelhão vendendo passeios para escolas

Anael Fael contou sua história e do aquário durante o programa Estadão PME Entrevista

Renato Jakitas, Estadão PME,

27 de outubro de 2014 | 07h16

Aos 17 anos, sem telefone em casa e sem dinheiro para alugar um escritório, Anael Fael realizava as vendas de pacotes para visitação em circos para as escolas a partir de um orelhão. Ele tinha apenas três minutos para explicar e concluir a venda antes da ligação cair. Era o tempo de duração de uma ficha.

Depois, as vendas evoluíram para espetáculos maiores, como o Holiday on Ice até que o empresário conseguiu juntar dinheiro para abrir um planetário no bairro do Ipiranga, em São Paulo. Depois de 11 anos em operação, o negócio deu lugar ao Aquário de São Paulo, iniciado com um investimento de R$ 500 mil.

Com oito anos de funcionamento, o local é o maior aquário temático da América Latina com 9 mil metros quadrados construídos e 3 mil animais de 300 espécies. Fael contou sua história e do aquário durante a edição de sábado (25) do programa Estadão PME Entrevista que vai ao ar toda semana na Rádio Estadão.

1º Bloco

Anael Fael contou como começou a se envolver nesse mercado até abrir o Aquário de São Paulo, no bairro do Ipiranga. (Clique na imagem para ouvir a entrevista)


2º Bloco

O empresário falou sobre como ganha dinheiro com uma operação complexa, comentou o boom de novos empreendimentos previstos para os próximos anos e como funciona o negócio de compra e venda de animais, como o tubarão Pancho que trouxe da Argentina. (Clique na imagem para ouvir a entrevista) 

Tudo o que sabemos sobre:
Rádio EstadãoAquário de São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.