Dólar cai 0,41% apesar de leilão do BC e fecha a R$ 1,706

Dólar cai 0,41% apesar de leilão do BC e fecha a R$ 1,706

Moeda norte-americana registra queda pela terceira sessão consecutiva

Silvana Rocha, Agência Estado,

22 de fevereiro de 2012 | 18h36

O dólar fechou em queda ante o real, pela terceira sessão consecutiva, apesar do ambiente negativo no exterior e de um leilão de compra à vista feito pelo Banco Central – o segundo realizado este ano. O recuo da moeda norte-americana ficou em linha com a leve baixa registrada pelo dólar em relação ao euro e foi influenciado pelo fluxo cambial positivo no mercado local.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Nesta sessão reduzida de Quarta-feira de Cinzas, o dólar terminou com baixa de 0,41%, a R$ 1,7060 no balcão, e com recuo de 0,46%, a R$ 1,7057 na BM&F. No mês, a queda acumulada no balcão é de 2,23% e, no ano, de 8,72%.

O giro financeiro total registrado até 16h43 na clearing de câmbio somava US$ 1,704 bilhão (US$ 1,391 bilhão em D+2). No mercado futuro, no mesmo horário, o dólar para março de 2012 recuava 0,47%, para R$ 1,7105, com giro de US$ 8,842 bilhões.

Com a oferta de moeda superior à demanda, o que foi em parte garantido por ingressos de recursos, o juro do cupom cambial curto diminuiu um pouco mais. No encerramento, o cupom cambial (juros em dólar) para março de 2012 estava negativo em 1,72%, ante -1% no encerramento na sexta-feira passada.

O clima pesou hoje nos mercados globais em consequência dos dados fracos da zona do euro e do temor dos investidores sobre a dívida da Grécia, país que também teve seu rating rebaixado pela agência Fitch, disse o operador José Carlos Amado, da Renascença Corretora.

Segundo ele, como o fluxo cambial para o Brasil é positivo, o dólar recuou rapidamente ao patamar de R$ 1,70, levando o BC a fazer o leilão. A taxa de corte foi de R$ 1,7083, mais alta do que o preço à vista do dólar naquele Momento. Logo após essa intervenção, o dólar reduziu a queda no mercado à vista. No entanto, o leilão foi insuficiente e a moeda renovou a mínima depois, de R$ 1,7040 (-0,53%) no balcão.

A máxima da sessão foi de R$ 1,7160 (+0,18%) no balcão, registrada após a abertura. Na BM&F, mais cedo, o dólar março chegou a subir até 0,12%, a R$ 1,7205.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.