Divulgação
Divulgação

Dois desafios que podem complicar o sucesso da escova que higieniza a boca em seis segundos

Produto chamou a atenção dos consumidores em todo mundo; mas será que isso é suficiente?

DANIEL FERNANDES, ESTADÃO PME,

06 de fevereiro de 2014 | 09h09

 Poucos produtos inovadores chamaram tanto a atenção dos consumidores quanto a escova de dentes que promete higienizar os dentes em apenas seis segundos - o interesse do público partiu, justamente, do corte abrupto do tempo que gastamos no banheiro. Mas a Blizzident enfrenta pelos menos dois problemas - até certo ponto comuns - a quem cria algo totalmente inovador e, como tantos outros inventores, pretende colocar sua inovação no mercado.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O primeiro problema é de processo. Para ter acesso ao produto, o consumidor precisa antes de um molde de sua arcada dentária. Isso pode ser feito por meio de um laboratório e o consumidor terá, em seguida, que enviar uma cópia digital para os fabricantes da escova de dentes inovadora.

É fundamental ter o molde para que a empresa possa fabricar a primeira versão da escova - após um ano a versão original será reposta por escovas sobressalentes. O que nos leva ao segundo problema. O preço.

De acordo com informações do próprio site do fabricante, o preço da primeira versão da escova não sai por menos de US$ 339 - algo em torno de R$ 812, conforme a cotação desta quinta-feira (6). A escova sobressalente, necessária após um ano de uso, custará entre US$ 89 (R$ 213) e US$ 159 (R$ 381). E a pergunta que os especialistas começam a se fazer é: será que o consumidor está disposto a tanto esforço para escovar os dentes em apenas seis segundos?

Tudo o que sabemos sobre:
escova de dentesinovação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.