Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Direto ao ponto: Mantega fala ao Senado; Leia o que pode mudar para os pequenos negócios

Ministro da Fazenda defendeu mais recursos para capital de giro e defendeu o crescimento contínuo do País

ESTADÃO PME,

13 de março de 2012 | 16h49

 O ministro da Fazenda, Guido Mantega, participou nesta terça-feira de audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. Para ajudar o pequeno empreendedor, o Estadão PME vai direto ao ponto e apresenta as principais informações divulgadas pelo ministro e que podem afetar o cotidiano da sua empresa.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

Impostos

Mantega disse que a carga tributária do País está sendo reduzida. Ele explicou, porém, que pode haver a impressão do contrário porque a arrecadação total aumenta conforma a atividade econômica é maior e, por isso mesmo, há maior formalização do mercado de trabalho.

Crescimento

Para o ministro, o País precisa continuar sua trajetória de crescimento. E ele acredita que isso vai ocorrer. "As certezas não são absolutas, mas há grande chance de que a trajetória não seja interrompida."

Recursos para o BNDES

Mantega prometeu mais recursos ao banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), sobretudo para o financiamento do capital de giro das empresas. Para o ministro, é preciso, inclusive, emprestar aos pequenos empreendimentos. "O BNDES não tem capilaridade. Ele repassa (os recursos) aos bancos privados, que preferem emprestar para grandes empresas."

IPI da linha branca

O ministro desconversou sobre o fim ou não da redução de IPI para os produtos da linha branca. O benefício encerra-se no fim deste mês. "Se vai cair o IPI sobre determinado produto: Se tiver, não falo e se não tiver também não falo para não prejudicar a produção", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.